Desporto

Ginastas da AAC vão ao mundial de trampolins

Fotografia cedida por Paulo Oliveira

Treinadora e atletas sentem-se confiantes. Prova vai-se realizar entre 16 e 19 de novembro na Bulgária. Por Miguel Santos

João Saraiva, Francisca Pinto e Rita Abrantes são os ginastas que vão participar no campeonato mundial de trampolins. Os três jovens, João de 25 anos e Francisca e Rita de 18, são pessoas de características muito diferentes. Segundo Mariana Pombo, treinadora da Secção de Ginástica da Associação Académica de Coimbra (SGinástica/AAC), João Saraiva, de 25 anos, tem já muita experiência neste tipo de competições e, portanto, maior facilidade em gerir a sua preparação. Por outro lado, Rita Abrantes e Francisca Pinto, ambas com 18 anos, são veteranas há pouco tempo. Para Francisca, este é o segundo mundial em que participa, mas para Rita é a primeira experiência no escalão. A técnica afirmou ainda que ambas as ginastas estão entusiasmadas, fizeram uma preparação “muito bem conseguida”, e receberam “com grande alegria” esta convocatória.

Mariana Pombo, ligada à Académica há 22 anos, ginasta no mesmo clube desde os dez e desde os 18 treinadora, abordou também a ligação dos seus ginastas ao clube. João Saraiva está na SGinástica/AAC desde os nove anos, Francisca Pinto desde os seis, e Rita Abrantes desde os três. Os atletas especializaram-se por volta dos dez anos e competem desde aí de forma “pura e dura”, como declara a treinadora, pois também os mais jovens podem competir em campeonatos do mundo por grupos de idades, e a Académica tem atletas nessas competições.

No que toca à preparação feita, Mariana Pombo afirma que a mesma engloba o “conjunto de aprendizagens que os ginastas fazem desde que entram”, e que quando ingressam nas competições é possível para os treinadores perceber se vão ser atletas de topo ou não. Na realidade dos três ginastas, todos tiveram desde o início um percurso nas competições internacionais, dado que a preparação está a ser feita desde o momento em que os técnicos tiveram perspetiva de que estes atletas viriam a fazer parte destas provas. Para a prova em concreto, a preparação começou em finais de agosto, pouco após o último momento de apuramento ocorrido em julho.

Em relação às expectativas para a prova, a treinadora da SGinástica/AAC manifestou a necessidade de se ser “muito realista”. Destacou que desde os 11 anos até ao escalão sénior não existem apoios para estas competições. Mariana Pombo deixou claro que não é possível ter expectativas quando, apesar de a SGinástica/AAC ser das maiores secções do organismo, “o governo, a câmara municipal e a AAC não dão apoio”, e apela a alguma ajuda, além da única que é oferecida pela Associação de Ginástica do Centro. A técnica espera, no entanto, que Rita Abrantes e Francisca Pinto consigam a melhor nota possível, e refere que João Saraiva pretende passar à segunda qualificativa. Também acredita que os três atletas estão em condições de lutar por uma medalha de equipas. No último campeonato da Europa, a Académica conquistou três medalhas de prata. Aquando da questão da falta de apoios, Mariana Pombo diz que “a secção não precisa de provar nada a ninguém”, e que o problema é a falta de sensibilização para o investimento necessário por parte de treinadores, pais e ginastas. A treinadora deixa claro que a escassez de ajuda não se deve à falta de publicidade e resultados, mas sim à falta de informação.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top