Ensino Superior

Debate sobre violência no contexto social abre Semana STOP

Bruna Santa

Madalena Santos destaca que “feminismo e direitos das mulheres” não são discutidos com frequência. Responsáveis pelo projeto esperam participação da comunidade universitária nas atividades. Por Luís Gonçalves e Bruna Santa

Na semana de 21 a 25 de novembro promove-se, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), a Semana STOP,  com o propósito de sensibilizar os alunos para o Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. A iniciativa decorre da colaboração entre o Núcleo de Estudantes da FLUC da Associação Académica de Coimbra (NEFLUC/AAC) e o Movimento Coletivo Feminista Independente. Deste modo, vão ser dinamizadas atividades como debates, um workshop de defesa pessoal e recolha de bens higiénicos femininos, durante esta semana.

Enquanto presidente do NEFLUC/AAC, Madalena Santos sublinha, “as pessoas, como professores e funcionários, podem olhar para estas iniciativas e pensar duas vezes sobre determinadas questões.”  Inês Simões, coordenadora do Coletivo Feminista Independente, destaca a importância dos debates, no sentido em que “chegam a um maior número de pessoas, de uma forma muito rápida” e corrobora a opinião de Madalena. Refere que “o feminismo e os direitos das mulheres são temas que não surgem às pessoas ou que não foram pensados”.

No seguimento desta iniciativa, realizou-se, esta segunda-feira, um debate intitulado “A Violência no Contexto Social (Media e Cultura)”, com a presença de Inês Simões. Lara Ximenes, aluna de Jornalismo e Comunicação na FLUC, realçou o seu interesse por eventos desta índole e declarou não saber o que esperar, uma vez que o tema era bastante abrangente. Já ambas as responsáveis pelo evento admitem dificuldades na divulgação atempada da conversa, porém, evidenciam otimismo.

O debate consistiu na explicação da definição de género, no papel da comunicação socialna propagação de estereótipos e na exposição de valores de género expectáveis.Além disso, abordou aspetos comoviolência na intimidade e no modo como os media podem ter um efeito pejorativo nas vítimas.

Nesta sessão foram apresentados alguns dados sobre a temática, relativos às mulheres da União Europeia a partir dos 15 anos. Uma em cada duas mulheres já sofreu assédio, uma em cada 20 já foi violada e uma em cada cinco já foi perseguida. A apresentação de estatísticas foi uma característica que agradou a Luís Bernardo, aluno de História na FLUC, que salientou a “excelente apresentação, com bastantes dados e notícias importantes”.

Margarida Azevedo, aluna de História da Arte na FLUC, revela que “estes debates são importantes e tornam-se mais marcantes e apelativos nestas semanas de sensibilização”. Considerou, de igual modo, que o debate lhe “conseguiu acrescentar algo.” Assim, Madalena Santos apela a que todos os estudantes estejam presentes, e afirma que o NEFLUC/AAC tem as “portas abertas à comunidade académica”. Na próxima quarta-feira vai se realizar o segundo debate da Semana STOP, pelas 18 horas, designado “A Violência no Contexto Académico”, com a doutoranda Daniela Neto, a Secção de Defesa de Direitos Humanos da AAC e a Associação de Apoio à Vítima.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top