Ciência & Tecnologia

Coimbra educativa: Roteiro INCoDe.2030 promove o digital

Sofia Moreira

Evento proporciona iniciativas em todo o país. Destacam-se temas como capacitação digital, inovação e desigualdade de género. Por Lucília Anjos e Sofia Moreira

O quinto evento do roteiro da Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 (INCoDe.2030) dedicado à capacitação digital ocorreu hoje, dia 10 de novembro, entre as 9h00 e as 16h00, no Convento São Francisco. A abertura contou com a presença do Secretário de Estado da Educação, António Leite. A edição trouxe apresentações de projetos socioeducativos e deu voz a iniciativas locais que contaram com o apoio do INCoDe.2030, um programa integrado de política pública que visa promover as competências digitais.

O evento reuniu três workshops presenciais ligados à SNS 24; à cibersegurança com temas de ‘phishing’, engenharia social, fraude online, ‘fake news’ e princípios para uma atuação resiliente; e a uma atividade designada “eusoudigital”, desenvolvida para ajudar adultos maiores de 45 anos com dificuldades no acesso à internet.

O INCoDe.2030, constituído pelo governo português em 2017, tem como objetivo melhorar o nível de digitalização dos portugueses face aos países europeus mais avançados nesta dimensão até 2030. A coordenadora-geral do evento, Luísa Ribeiro Lopes, referiu que Portugal, no cenário mundial, está numa posição avançada no que diz respeito à tecnologia. Contudo, “o objetivo de iniciativas como estas é torná-lo num país de destaque dentro da própria União Europeia”, sublinha.

Apesar das melhorias verificadas desde 2017 no que toca à população excluída no digital, Luísa Ribeiro Lopes acrescenta que “entre as pessoas que estão dentro do digital, quase 60% só têm competências básicas”. Desta forma, uma formação nesse sentido “é importante para esta capacitação”, pois muitas pessoas perdem empregos por não terem competências digitais.

Luísa Ribeiro Lopes menciona que “a capacidade digital começa pela educação dos mais novos”, logo, o evento tem como público-alvo a comunidade educativa, como professores, a Câmara Municipal e alunos. “As expectativas de adesão foram superadas”, comenta a coordenadora geral do INCoDe.2030, que se diz surpreendida.

A história do Convento São Francisco relaciona-se com o próprio objetivo do projeto: o primeiro, construído em 1602, para abrigar a ordem franciscana, que tinha um propósito humanista, tal como o INCoDe. Luísa Ribeiro Lopes afirma que “o intuito do digital tem de ser humanista e o digital é para todos e para todas, não existem diferentes capacidades entre homens e mulheres”. Aborda-se, assim, a questão da desigualdade de género dentro do meio tecnológico, com a referência, por parte da coordenadora, ao projeto “Engenheiras por 1 dia”. Este pretende combater e prevenir a intensificação da segregação das ocupações profissionais em razão do sexo e, em especial, a ausência das mulheres nas áreas de engenharia e tecnologias. Visa promover, junto das estudantes, a opção por essas áreas, ao desconstruir a ideia de que estas são domínios masculinos.

O próximo evento vai ser em Santarém, dia 13 de dezembro de 2022, na Escola Superior de Saúde de Santarém, onde se vai discutir o digital na saúde. Todos os projetos são gravados e disponibilizados na plataforma ‘Youtube’.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top