Cidade

OKTOBERFEST? ÓHQUETUGA FEST!

Fotografia cedida por Divisão de Protocolo e Comunicação CMC

Primeira edição do festival vai ver reunidos vários elementos da cultura típica portuguesa. Um dos maiores objetivos do evento é chamar público para Mercado Nacional D. Pedro V e “voltar a colocá-lo no mapa”. Por Luísa Macedo Mendonça

Nos próximos dias 30 de setembro, 1, 7 e 8 de outubro vai decorrer no mercado D. Pedro V, em Coimbra, a primeira edição do ÓHQUETUGA FEST. Trata-se de um festival que tem como principal objetivo “celebrar a cultura portuguesa e quebrar com o ostracismo a que o mercado esteve sujeito e voltar a colocá-lo no mapa”, de acordo com gerente da Praça do Mercado, André Santo. O espaço municipal vai contar com concertos de Tiago Silva, finalista do The Voice Portugal, e outros músicos, assim como peças de teatro de rua, provas de petiscos e vinhos nacionais ou jogos tradicionais.

A ideia do evento partiu da necessidade de “abrir o mercado definitivamente para a cidade, para todos os estratos sociais e etários”, refere André Santo. Ao partir do festival alemão Oktoberfest surgiu a intenção de criar uma versão portuguesa, “pegar não na cultura e folclore alemão, mas sim na nossa [portuguesa]”, como indica o gerente da Praça do Mercado. O nome surge, então, de um jogo de palavras, ao adaptar a denominação alemã à portuguesa: ÓHQUETUGA Fest. “Querendo fazer alguma coisa nesta altura do ano, foi quase como um pensamento que foi evoluindo até chegar a este ponto”, acrescenta Santo.

O ÓHQUETUGA Fest vai contar com várias vertentes, desde os espetáculos de música, ao teatro de rua, às demonstrações de dança, provas de vinhos, cervejas e petiscos nacionais, assim como várias “surpresas”, revela o gerente da Praça do Mercado. O evento vai ter também um DJ a reproduzir ‘hits’ portugueses dos anos 80 e 90, um rancho folclórico, bandas itinerantes, entre outos, num programa variado, que inicia com um espetáculo de fado de Coimbra e Lisboa por Luís Travessos.

Os artistas que vão estar presentes, cujo nome principal é o de Tiago Silva, foram escolhidos por “proximidade (sobretudo por qualidade) e por esta necessidade de apresentar oferta, porque o mercado é de todos, portanto teríamos que apresentar variedade”, indica o gerente. Quando questionado acerca da possibilidade de presença de estudantes da Associação Académica de Coimbra a interpretar fado de Coimbra, André Santo confessou que “haverá sempre a possibilidade de estarem presentes connosco”, mas que o evento não está a “apresentar em exclusivo a culturalidade de Coimbra, mas a culturalidade portuguesa”. 

Acerca da localização para albergar o festival, André Santo admite que “não há nada que faça mais sentido para os conimbricenses do que viver momentos de lazer neste espaço que já percorre 2 séculos de história”. Construído em 1868, o Mercado Municipal D. Pedro V é considerado um local histórico, profundamente conectado com a cidade e as suas gentes”, como considera o gerente, pelo que “é o local indicado para albergar esta iniciativa. Por sua vez, em comunicado à imprensa, o vereador responsável pelo pelouro das Feiras e Mercados, Miguel Fonseca, revela que “não há melhor palco para esta iniciativa”, dado que é um “espaço emblemático da cidade, situado no coração de Coimbra, que está agora completamente requalificado e que estamos empenhados em dinamizar”.

André Santo revelou ainda grandes expectativas no que toca à adesão ao evento, uma vez que estão a “fazer tudo” para que o festival atraia muitas pessoas para o local. Acredita que vão poder esperar “largas centenas de pessoas todos os dias do evento”, e, embora admita que as “expectativas possam sair furadas”, encontra-se muito positivo face ao assunto. Acima de tudo, acredita que “toda a gente se vai sentir em casa” e que “é inacreditável os sorrisos que nos saem ainda quando tentamos contê-los a ouvir música portuguesa”. Através disto, Santo justifica também a presença de Tiago Silva, que “é um artista profundamente ligado às nossas raízes” e relembra o projeto que o artista encabeça denominado “unidos pela música portuguesa”, pelo que “se nós aqui queremos estar unidos pela cultura portuguesa, faz todo o sentido”.

A programação do ÓHQUETUGA Fest vai decorrer nas sextas, 30 de setembro e 7 de outubro, das 19.30h até às 23.30h, e sábados, 1 e 8 de outubro, das 10.00h da manhã e dura até às 00.30h. Por fim, em comunicado de imprensa, Tiago Silva apela a que “toda a população para que esteja presente e faça parte da festa”. Por sua vez, André Santo, apela “a que todos possam estar presentes e para que, pelo menos, a título de experiência possam cá passar”, e relembra ainda a gratuitidade da entrada. “As pessoas devem entrar e ficar cá uns momentos para absorver esta energia que eu acredito que será uma energia muito positiva”, conclui o gerente da Praça do Mercado. 

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top