All for Joomla All for Webmasters
Ciência & Tecnologia

Três alunos da UC recebem bolsas de mérito da Huawei

Fotografia cedida por Laura Scherzberg

Apoio financeiro de cinco mil euros para vencedores. Empresa tenta combater ‘gender gap’ e metade dos selecionados foram mulheres. Por Larissa Britto

A Huawei, empresa chinesa multinacional de equipamentos para redes e telecomunicações, lançou, em dezembro de 2021, um programa para investir em jovens portugueses. Programa de Bolsas Huawei pretende reconhecer e apoiar a nível financeiro 50 alunos universitários de áreas diversas da engenharia e da ciência. Para isso, cada estudante recebeu uma quantia de cinco mil euros para investir no seu percurso académico.

Houve mais de três mil candidatos, mas apenas 50 foram selecionados, sendo que três são estudantes da Universidade de Coimbra (UC). Um deles foi Diogo Cruz, mestrando em Engenharia de Informática na Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC (FCTUC). O estudante entende que apoios como este da Huawei são de “extrema importância, pois são duas áreas que estão sempre a progredir”. Ideia que, a também vencedora, Laura Scherzberg, estudante de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da FCTUC, partilha. Para Laura Scherzberg “a motivação e o incentivo são necessários”.

Os critérios de avaliação para o Programa de Bolsas Huawei consistiram no envio do currículo dos participantes, uma entrevista e um vídeo de apresentação. Os vencedores foram anunciados no dia 1 de abril, por uma chamada de vídeo. Diogo Cruz definiu a experiência como “engraçada” e declarou ter sido um momento de muita emoção. Dos 50 vencedores, metade eram mulheres, ação que faz parte da iniciativa da Huawei em reduzir o ‘gender gap’ na indústria. Ainda na fase das candidaturas, a empresa anunciou que a intenção era de atribuir metade das bolsas a estudantes mulheres e acabou por cumprir conforme o prometido. Nesse âmbito, Laura Scherzberg destacou ser essencial “existir mais representação feminina na tecnologia”.

A bolsa trata-se de um apoio de cinco mil euros, separado entre o segundo semestre do ano letivo de 2021/2022 e o primeiro semestre do ano letivo de 2022/2023, com a finalidade de ser utilizada para fins estudantis e profissionais. A estudante da FCTUC declarou que usará uma parte da quantia “para desenvolver um projeto de jogo”, que possui. Enquanto que Diogo Cruz diz que, por agora “vai auxiliar no pagamento de propinas”, além de querer investir em projetos profissionais no futuro.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top