All for Joomla All for Webmasters
Ensino Superior

Propostas de modernização dos Estatutos da AAC marcam debate de candidatos para a ARE

Iris Palma

Sugestões de clarificação do documento criam divergências entre listas. Falta de divulgação do processo eleitoral é discutida pelos candidatos. Por Iris Palma

Esta segunda-feira, dia 16 de maio, pelas 18 horas, realizou-se o debate entre as quatro listas candidatas para a Assembleia de Revisão dos Estatutos (ARE), no Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra (TEUC), na Associação Académica de Coimbra (AAC). A modernização e simplificação dos Estatutos da AAC foi uma das questões levantadas durante a discussão entre candidatos.

A Lista A – Aproximação aos Estatutos é encabeçada por João Santana, aluno da Faculdade de Farmácia da UC (FFUC), que descreve a sua proposta como uma aproximação do documento para os estudantes. O estudante da FFUC assevera que a “falta de conhecimento dos Estatutos da AAC” por parte dos estudantes provoca “problemas que podiam ser resolvidos de forma mais eficiente” caso o conhecimento fosse promovido.

Armando Remondes, estudante da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC (FCTUC), é o líder da Lista C – Construir, Completar e Clarificar. Uma das suas propostas é a digitalização dos Estatutos e o desenvolvimento do documento de modo a que “certas situações que necessitem de ser consultadas” sejam acessíveis.

O candidato César Sousa é o líder da Lista E – Por Estudantes, Pelos Estatutos e ilustra as suas propostas no formato de um triângulo com foco em Explicar, Encontrar, Enquadrar. Este triângulo foi criado no âmbito de “ajudar os Estatutos a Elevar a AAC”, indica o estudante da Faculdade de Direito da UC (FDUC). O número um da lista acrescenta ainda a necessidade de “levar o debate à comunidade estudantil”.

Beatriz Bernardo, também estudante da FDUC, representa a Lista R – Rever, Defender e Aproximar, que tem entre as suas propostas um foco no diálogo com os estudantes. A candidata explica que através de intervenções faladas, os estudantes podem ficar a conhecer não só os Estatutos da AAC, mas também os seus direitos, estipulados no documento.

Relação entre os estudantes e os Estatutos da AAC

O debate teve início com uma pergunta centrada no afastamento entre os Estatutos da AAC e a comunidade académica. Beatriz Bernardo observou que “muita gente não sabe o que são os Estatutos ou não sabe a importância que representam”.

César Sousa adiciona que “por norma, os dirigentes associativos é que contactam diariamente com os Estatutos da AAC”, mas não nega a necessidade de inclusão da restante comunidade académica. Algumas das propostas apresentadas para promover a participação de estudantes, de forma a manter o interesse sobre os Estatutos da AAC, são a “inclusão de uma versão dos Estatutos em braile, aúdio e em inglês”.

Modernização e simplificação dos Estatutos da AAC

A reformulação da escrita dos Estatutos foi também levantada de modo a torná-la mais acessível para os estudantes. Apesar das opiniões divergentes de cada lista para com esta alteração do documento, os candidatos concordam com esta necessidade. O estudante da FDUC explica que a “clarificação da linguagem” é um dos “eixos fundamentais da candidatura da Lista E”, através de anotações nos Estatutos da AAC.

Por seu lado, Armando Remondes frisou que “a simplificação do documento podia levar a mais algumas burocracias e confusões”. O líder da Lista C opõe-se ao “encurtamento dos Estatutos” sugerido por João Santana com a explicação que “há mais coisas que devem ser explicadas, como também há casos em branco”.

Níveis de adesão para estas eleições

Uma das últimas perguntas a ser debatida foi o nível de adesão para o dia 18, no qual os estudantes têm a possibilidade de votar em um dos oito pontos disponíveis. Entre estes pontos estão o edifício-sede da AAC, a Faculdade de Economia, a Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, a Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, como também o Departamento de Medicina Dentária da UC.

Beatriz Bernardo comenta que, nas suas interações com os estudantes, a “maioria se mostravam interessados, não só em participar na vida democrática da AAC, mas em exercer o seu direito ao voto”. A estudante da FDUC toma estes diálogos como um possível sinal de “uma boa adesão” para as eleições a decorrer nesta quarta-feira.

João Santana responde a esta previsão com reservas devido ao “desconhecimento dos estudantes” em relação às eleições. Porém, o candidato conta que “numa próxima ARE se tenha muito mais adesão, porque os estudantes vão ficar a conhecer do que se trata o documento”.

O candidato Armando Remondes também discorda com a colega Beatriz Bernardo ao explicar que houve “muita falta de divulgação destas eleições”. Acrescenta ainda que a Direção-Geral da AAC (DG/AAC) podia ter desempenhado um papel mais ativo na divulgação do processo eleitoral.

Artigo atualizado às 18h45 de 17 de maio.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top