All for Joomla All for Webmasters
Ensino Superior

Relatório de Contas da QF’21 por apresentar

Arquivo

Entrega não cumpriu prazos definidos pelo CF/AAC. Tema não vai constar na ordem de trabalhos da próxima AM. Por Alexandra Guimarães

“Até ao momento, o Conselho Fiscal da Associação Académica de Coimbra (CF/AAC) ainda não recebeu o Relatório de Contas da Queima das Fitas 2021 (QF’21)”, assegura o presidente do CF/AAC, Laurindo Frias. Já o secretário-geral da Comissão Organizadora da QF’21 (COQF), Carlos Missel, garante que “o relatório está pronto e só está a ser revisto para enviar para o CF/AAC”, de modo a que possa ser apresentado na Assembleia Magna (AM) de março.

O secretário-geral da COQF’21 apresenta como motivo para o atraso “a transferência da QF’21 para outubro, que fez com se sobrepusessem o relatório da Direção-Geral da AAC e o da QF’21”. Sublinha ainda “o facto de os serviços de contabilidade da AAC estarem sobrecarregados e terem sofrido uma paragem com o confinamento de janeiro, o que não permitiu ter informações para começar a elaborar o relatório antes”.

Os estatutos, previstos para uma QF que se realize em maio, apontam o prazo de entrega do Relatório de Contas para o final de julho, de modo a que possa ser debatido em AM em setembro. Neste caso, em que a QF’21 teve lugar em outubro, “o CF/AAC adaptou o limite temporal consoante os estatutos e achou por bem dar dois meses para a redação do documento, para que em fevereiro houvesse discussão em AM”, refere Laurindo Frias. Acrescenta que “como até finais do ano de 2021 o documento não foi recebido, estabeleceu-se a data de 15 de janeiro para a entrega”. 

Laurindo Frias explica que “para irem a votação em AM, estes documentos têm que ter um parecer positivo por parte do CF/AAC”. Segundo o presidente, “o plenário do CF/AAC vai reunir no próximo dia 12 e, mesmo se os documentos chegassem até ao final desta semana, não haveria tempo para fazer uma análise até à AM de dia 14”. Adianta ainda que “neste plenário do CF/AAC, as eventuais sanções vão ser um tema a discutir, bem como se faz sentido afetar a QF num todo ou antes algum dirigente em específico”.

De acordo com os estatutos, a COQF’22 só pode tomar posse após ser apresentado o Relatório da COQF anterior. Laurindo Frias afirma que “os membros da COQF continuam a ser os mesmos de 2021 e ainda não houve nenhuma tomada de posse oficial”. Carlos Missel ressalva “a excecionalidade desta situação, que permite que, mesmo ainda não apresentado o relatório, estejam já a ser tomadas decisões quanto à QF’22”. Laurindo Frias assegura que, “desde que se cumpram os estatutos, da parte do CF/AAC não haverá atrasos na decisão, para não prejudicar a QF, nem a casa num todo”.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top