Ensino Superior

Evento dos “cem anos solidários” do campo de Santa Cruz adiado

Daniel Oliveira

Condições climatéricas justificam adiamento. Secção de Fado da AAC mantém-se na programação. Por Daniel Oliveira

O campo desportivo de Santa Cruz fez cem anos no passado dia 5 de março. A celebração do centenário estava prevista para o dia 9 deste mês, mas o evento foi adiado para 20 de março. O adiamento foi divulgado pela Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC) via Instagram.

Um marco desportivo, relacional e cultural

Utilizado pelos estudantes da AAC desde 1918 e inaugurado em 1922, o campo de Santa Cruz é um marco histórico da atividade desportiva da academia e da cidade de Coimbra. Os principais títulos da AAC, tanto na modalidade de futebol como em outras modalidades, foram alcançados neste campo.

Segundo João Caseiro, vice-presidente para o desporto da DG/AAC, o centenário é “uma data importante de se celebrar, devido ao simbolismo que teve o jogo de estreia no campo de Santa Cruz”. Acrescenta que esse jogo contou com o pontapé de saída por parte do então reitor da Universidade de Coimbra, que foi o primeiro presidente da DG/AAC.

O também estudante de mestrado em Administração Educacional pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FPCEUC) afirma que a celebração deste centenário deve ainda ter em consideração as alterações que foram feitas no recinto ao longo dos anos. Essas intervenções tiveram o objetivo de “manter as condições para albergar a estrutura da AAC, sobretudo as secções desportivas”, explica João Caseiro.

De facto, a necessidade de manter as condições no campo de Santa Cruz levou à sua reinauguração em 2008. Desde então, as alterações feitas no espaço têm sido muitas das vezes “intervenções pontuais”, sublinha o vice-presidente para o desporto da DG/AAC. “Por vezes, identificam-se algumas lacunas e as próprias secções desportivas reportam-nas ao conselho desportivo da AAC”, explicita.

Mesmo com a inauguração do Estádio Municipal de Coimbra em 1949, que é utilizado pela Organização Autónoma de Futebol da AAC até hoje, o campo de Santa Cruz continua a ser utilizado pelos estudantes para os treinos das secções desportivas da associação. Também é possível alugar o espaço para jogos entre estudantes ou pessoas exteriores à academia.

De momento, o recinto conta com dois campos: um de relva sintética, destinado à prática de futebol de sete e de 11, rugby e basebol; e um polidesportivo de piso sintético para a prática de futsal, basquetebol, voleibol e ténis. Também há no local um restaurante, que serve a comunidade estudantil e a população da cidade (mediante marcação).

João Caseiro considera que o campo de Santa Cruz não é apenas um espaço desportivo, mas também de cultura e lazer. “Muitos estudantes, mesmo que não seja pelo desporto, vão lá jantar, beber um copo e estar com amigos”, comenta o estudante da FPCEUC. Adianta que “é um espaço onde se criam laços e amizades, que é aquilo que caracteriza a AAC”.

Constrangimentos na realização do evento

A ideia inicial era que a celebração do centenário do campo de Santa Cruz fosse no dia 5 de março. João Caseiro explica que isso não foi possível, devido à falta de condições logísticas e de preparação. A ausência de elementos da DG/AAC devido a outros compromissos também levou à decisão. O vice-presidente do órgão administrativo da AAC aponta, no entanto, que a data não deixou de ser assinalada. “Fez-se uma publicação informativa, para que os estudantes saibam o dia em que o campo foi inaugurado”, explica.

Em relação ao adiamento do evento para o dia 20 de março, João Caseiro justifica que este ocorreu devido às condições climatéricas. “Já que este adiamento foi necessário, procurou-se fazê-lo de modo que seja numa data e hora que não coincida com a vida profissional das pessoas”, acrescenta o estudante da FPCEUC.

Esse adiamento também permite, de acordo com João Caseiro, que seja possível planear melhor a celebração do centenário. “A ideia é, dentro do plano já existente, manter o cariz social dos cem anos solidários, de recolha de bens para a Ucrânia ou para outras instituições que necessitem”, esclarece. O vice-presidente para o desporto da DG/AAC confirma a presença da Secção de Fado da AAC no evento, no dia 20.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top