Ensino Superior

Sérgio Martins apresenta candidatura à Comissão Disciplinar

Simão Moura

Aponta-se falta de informação sobre como recorrer à CD/AAC. Candidato frisa que protagonismo não deve ser objetivo dos dirigentes. Por Gabriela Moore.

As eleições para a Comissão Disciplinar da Associação Académica de Coimbra (CD/AAC) vão ocorrer no próximo dia 24. A lista A – Por uma Académica com Disciplina, representante do primeiro contingente, é encabeçada pelo estudante da Licenciatura de Economia, Sérgio Martins.

O aluno da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra é suplente da atual CD/AAC. A sua candidatura como cabeça de lista baseia-se em três pontos: a disponibilidade pessoal para assumir o compromisso; a confiança que tem na capacidade da equipa em executar as funções; e a crença de que ainda há coisas a melhorar no órgão.

Para Sérgio Martins, a “grande lacuna” na divulgação, tanto da composição, como das funções e competências da Comissão Disciplinar é ainda o maior problema a ser combatido. Como o órgão responsável pela investigação das possíveis infrações estatutárias na AAC, o seu funcionamento depende muito que os associados cheguem até a CD/AAC com as suas suspeitas ou acusações.

No entanto, “as pessoas, mesmo que saibam que existe, não sabem como fazer uma queixa à Comissão Disciplinar”, conta. O candidato lamenta que o próprio ‘site’ da AAC não tenha as informações de contacto da CD/AAC. “Se for perguntar à Secretaria, eles dão, mas se alguém for procurar, não encontra a informação em lado nenhum”, explica. Sérgio Martins refere que este problema já foi mencionado na candidatura da qual participou no ano passado e considera que é um erro fácil de ser corrigido.

Apesar de tudo, Sérgio Martins avalia este ano como melhor que os anteriores, porque mais pessoas recorreram à CD/AAC. O estudante conta que foram recebidos cerca de 12 processos durante este mandato, com alguns ainda em andamento. Porém, o cabeça da Lista A sente que ainda se pode avançar mais.

Sérgio Martins considera que o facto de as ações da CD/AAC não serem publicadas – já que consistem em investigação interna e emissão de uma Nota de Culpa Acusatória, entregue diretamente ao Conselho Fiscal da AAC – pode dificultar o conhecimento dos estudantes sobre as suas atividades. O candidato destaca que o órgão e os seus integrantes não têm que ter protagonismo e que o objetivo é “funcionar como personagem secundário para que a AAC possa exercer todo o seu trabalho”.

O primeiro contingente, de associados efetivos, vota nas faculdades. O segundo contingente, composto dos associados seccionistas, vota no edifício sede da AAC. O voto antecipado pode ser feito no dia 22. 

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top