Cidade

Centro de testagem na Praça da República é encerrado

Daniel Oliveira

Mais de oito mil testes foram feitos em dois meses. Beneficiários do antigo posto de testagem podem recorrer ao laboratório da UC. Por Larissa Britto e Iris Palma

O centro de testes à COVID-19, sediado na Praça da República, encerra hoje, dia 21 de fevereiro. Este posto de testagem foi colocado como um auxílio à comunidade conimbricense. A partir do Decreto-Lei n.º 23-A/2022, apresentar teste negativo à COVID-19 à entrada de estabelecimentos deixa de ser obrigatório, exceto em casos pontuais para quem ainda não tem a dose de reforço ou certificado de recuperação.

O Reitor da Universidade de Coimbra (UC), Amílcar Falcão comenta que “desde que a lei foi alterada aquele posto perdeu o sentido”. Maria Carolina Pina, aluna do primeiro ano de Jornalismo e Comunicação, ressalta que com o novo decreto não “há a necessidade do centro de testagem, pois caso a população precise pode recorrer a uma farmácia”. Já Miguel Santos, também estudante de Jornalismo e Comunicação, acredita que a população de Coimbra gostaria que continuasse aberto, já que se tivessem contato com alguém positivo, era uma forma mais fácil de testar.

O Reitor adiciona ainda que o posto perde a sua necessidade quando “quase a cem metros de distância encontra-se o laboratório da universidade no pólo I”. Indica

ainda a variedade de possíveis testes a serem feitos, “desdes dos de saliva, PCR, etc.”. Esta opinião é apoiada por estudantes como Luís Pereira, da Faculdade de Letras da UC (FLUC), que chegou a fazer testes “duas ou três vezes” e observou “a diminuição de utilizadores”.

O centro foi introduzido como um lugar extra para testagens rápidas a favor de ajudar as pessoas. Amílcar Falcão indica que o posto servia para permitir que a população pudesse “fazer uma vida normal”, quando os centros de testagem eram insuficientes na cidade. Adiciona ainda que o local tinha o seu “horário de funcionamento noturno para não provocar concorrência entre outras instituições, mas também para ajudar o público”. Luís Pereira acrescenta que este foi “um período onde as farmácias se encontravam sobrecarregadas e o posto era a opção mais rápida e eficaz”.

De acordo com a nota de imprensa emitida pela Câmara Municipal de Coimbra, no período de tempo que este “centro de testagem esteve aberto foram efetuados 8588 testes”. O Reitor da UC ilumina que “havia pelo menos 150 a duzentos testes a serem feitos por dia”. Inclui também que graças a este projeto, os estudantes de Erasmus conseguiram fazer testes gratuitos em comparação com os da farmácia.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top