All for Joomla All for Webmasters
Cultura

Museu Nacional Machado de Castro inaugura nova exposição temporária

Beatriz Jales

“Azul e Ouro” inclui objetos em esmalte de várias regiões de Portugal. Coleções privadas constituem parte do espólio em exibição. Por Beatriz Jales e Narci Rodrigues

Parte de um circuito expositivo que engloba vários museus da Direção Geral do Património Cultural (DGPC), a exposição “Azul e Ouro” foi inaugurada hoje no Museu Nacional Machado de Castro e permanece até 23 de janeiro em Coimbra. Estão expostas mais de 100 peças em esmalte, produzidas entre os séculos XII e XIX, vindas de vários museus e coleções privadas de todo o país.

O nome da exposição remonta ao modo como o esmalte era utilizado para dar cor e dinâmica a peças de ourivesaria. “O título tem a ver com esse confronto de luminosidade e de esplendor, mas também na pluralidade e potencialidades do cromatismo”, explica a diretora do Museu Nacional Machado de Castro, Maria de Lurdes Craveiro.

A exposição, de natureza itinerante, começou o seu percurso no Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, antes de chegar a Coimbra. Terminado o seu período na cidade, vai deslocar-se para o Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa. “Significa isto que a exposição é sempre a mesma? Não, não é”, esclarece a diretora. Estão em exibição várias peças que não foram expostas no Museu Soares dos Reis e vice-versa. Muitas das peças selecionadas já compunham o espólio do museu e, para a ocasião, foram integradas na recém-inaugurada exibição.

Estão expostos objetos litúrgicos, de devoção e de aparato, como cruzes processionais e 26 placas do Mosteiro de Santa Cruz datadas do século XVI. Provenientes de regiões como Braga, Porto, Águeda, Viseu, Coimbra, Lisboa, Évora e Funchal, a presença destes artefactos deve-se a um esforço dinamizado pela DGPC entre vários museus e coleções privadas.

Maria de Lurdes Craveiro tem expectativas de que a exibição seja relevante para os visitantes e que “olhem para as peças e extraiam delas tudo aquilo que têm para dar”. Lamenta também a baixa adesão ao Museu da parte da comunidade estudantil da Universidade de Coimbra que, segundo ela, “teria muito a ganhar em visitá-lo”.

Os bilhetes podem ser adquiridos na receção do Museu Machado de Castro pelo valor de dois euros e as visitas decorrem de terça-feira a domingo das 10h00 às 17h30.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top