All for Joomla All for Webmasters
Ensino Superior

Sala de estudo da AAC recebe recolha de sangue

Arquivo

Organização assegura cumprimento de medidas de segurança. Apesar do confinamento, população demonstra sentido de solidariedade. Por Beatriz Monteiro Mota

No próximo dia 16 de março, a Associação Académica de Coimbra (AAC) vai organizar uma recolha de sangue aberta a toda a comunidade. Em parceria com o Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), a iniciativa vai decorrer na sala de estudo do edifício sede entre as 15 horas e as 19 horas.

A chamada de atenção por parte dos hospitais e do IPST, no que toca ao défice das reservas de sangue a nível nacional, suscitou na comunidade académica o interesse de contribuir para esta causa. “O confinamento e as medidas restritivas, levaram a um decréscimo substancial das doações e, por isso, organizou-se esta iniciativa no mês de março, numa altura em que as reservas estariam mais uma vez em baixo”, explica João Assunção, presidente da Direção Geral da AAC (DG/AAC).

“O imperativo moral e a solidariedade da comunidade em poder ajudar através da doação de sangue” e “a possibilidade de a AAC poder ser um centro agregador entre a comunidade estudantil e citadina” são as vertentes fundamentais desta iniciativa, segundo João Assunção. Além da importância no combate à COVID-19, este evento tem ainda um papel central no apoio a outras patologias que continuam a existir apesar do contexto, acrescenta. 

A recolha de sangue vai realizar-se com “total segurança”, salvaguarda o presidente da DG/AAC. Para isso, a organização criou um trajeto de forma a garantir que não há cruzamento de pessoas. “Os voluntários entram no edifício sede e dirigem-se à sala de estudo onde decorre o processo. No final da doação saem pela porta que liga aos jardins da AAC”, descreve. De modo a evitar aglomerações, a participação no evento requer uma pré-inscrição, através de um formulário presente nas redes sociais da AAC, disponível até 5 de março.

Após as doações, as amostras são armazenadas no IPST, que se encarrega de as distribuir pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS). O sangue doado pode então ser recebido por utentes de Norte a Sul do país. “É bom saber que o sangue é entregue onde for necessário e que é possível ajudar em grande escala as necessidades do SNS”, confessa o presidente da DG/AAC.

Segundo João Assunção, o confinamento não parece prejudicar a adesão ao projeto, pelo que o número de inscrições superou o esperado. “Apesar da comunidade estar confinada, existe mais solidariedade”, expressa. Sustenta ainda que o trabalho do SNS no combate à pandemia fomentou na população o sentimento de responsabilidade para ajudar os profissionais de saúde que se encontram na linha da frente.

O IPST disponibiliza um documento onde no qual esclarece todas os requisitos para se ser dador de sangue.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top