Ensino Superior

“Faz-te Representar!” é o mote da Lista R na candidatura ao Conselho Geral da UC

Fotografia cedida por Ana Rita Brás

Projeto lança a promessa de uma política de internacionalização capaz de acolher, integrar e reconhecer o valor dos estudantes. Candidatos defendem uma maior representação efetiva com todos os doutorandos. Por Andreia Júlio e Jéssica Oliveira.

Com vista a desempenhar um papel mais ativo no Conselho Geral da Universidade de Coimbra (UC) e a reconhecer o valor dos estudantes do terceiro ciclo, Carolina Rocha, doutoranda em Biociência na Faculdade de Ciências e Tecnologias da UC (FCTUC), candidata-se ao novo mandato do Conselho Geral. Aliada aos doutorandos em Sociologia na Faculdade de Economia da UC (FEUC), Ana Rita Brás e Josinaldo Araújo, os líderes da Lista R – “Faz-te Representar!” concorrem às eleições do próximo dia 10 de dezembro e prometem um compromisso baseado na comunicação permanente, transversal e participativa.

Numa publicação nas redes sociais, o projeto defende que princípios como a autonomia e a ética universitária não caracterizam a atual representação do terceiro ciclo no Conselho Geral. Os doutorandos candidatam-se pois consideram que “é necessário que o Conselho Geral assuma um papel mais ativo no exercício de discussão e reflexão das decisões que compreendem toda a comunidade universitária”. Além disso, assumem este momento institucional como uma longa luta pela universidade pública, democrática, gratuita e inclusiva.

A candidatura afirma-se como um processo de debate e esclarecimento e que defende uma representação efetiva dos estudantes. Não obstante, considera urgente o reconhecimento dos doutorandos trabalhadores em fase inicial de carreira científica, a isenção de propinas e de emolumentos associados ao acesso e à obtenção do grau. “Os estudantes internacionais acabam por pagar propinas com um preço exorbitante”, salienta Carolina Rocha, e considera inadmissível que sejam “obrigados a pagar várias centenas de euros para poderem ter um reconhecimento no mestrado”.

Outro tema que a cabeça de lista sublinha é a falta de alojamentos face à atual situação pandémica. “Não há quartos para isolamento nas residências caso as pessoas fiquem doentes, em particular com COVID-19”, declara. Faz ainda referência às poucas áreas comuns, o que acaba por prejudicar os estudantes doutorandos, uma vez que “ficam sem recursos adequados para conseguir estudar”, algo que considera ser “uma questão dramática”.

Com a promessa de que, mesmo com uma derrota nas eleições, os candidatos da lista R vão continuar com este projeto. Carolina Rocha afirma querer “manter um canal aberto de comunicação com os doutorandos da UC”. Com a prioridade de acolher toda a comunidade do terceiro ciclo, a candidata efetiva da lista apela à união dos estudantes a esta causa pois este plano “pode sempre crescer” e “será feito o possível para que chegue a toda a gente”, conclui. 

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top