All for Joomla All for Webmasters
Ensino Superior

Praxe Coimbrã resiste à pandemia

Maria Francisca Romão

Porto e Lisboa cancelaram as praxes académicas, mas Matias Correia permanece confiante de que com cuidados não há tantos riscos. MCV responde à carta aberta do ministro do Ensino Superior sobre a integração dos novos estudantes. Por Ana Haeitmann

A relevância das praxes em tempos de pandemia foi questionada pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, por meio de uma carta aberta para as associações de estudantes e instituições de ensino superior portuguesas. Em resposta, o Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra – Magnum Concilium Veteranorum (MCV) publicou uma declaração na sua página oficial do Facebook, a favor da promoção das praxes em Coimbra, ao contrário dos académicos do Porto e Lisboa.

Manuel Heitor criticou as praxes académicas sob as palavras de “abuso, humilhação e subserviência”, além de salientar que não condizem com a atual pandemia e não colaboram para o controlo do vírus no meio académico. “A realização das iniciativas de receção e integração dos novos estudantes no ensino superior deve ser estimulada, mas também a segurança sanitária e prevenção à propagação da pandemia”, afirma o ministro.

Em resposta às palavras de Manuel Heitor, o dux veteranorum do MCV, Matias Correia, salienta a importância das praxes para “manter a tradição académica e a relação intergeracional entre os caloiros e os grupos académicos”.

Matias Correia salienta que as medidas sanitárias impostas à Praxe de Coimbra são suficientes e legítimas. “A partir do momento que é lícito estar numa sala de aula com um certo número de pessoas, também podem estar dez pessoas num parque da cidade a fazer as suas atividades”, comenta.

O MCV estabeleceu medidas de segurança a aplicar na praxe, como o distanciamento entre as pessoas, o impedimento de atividades que envolvam contacto físico, o uso de máscara e a limitação do número de participantes. O dux veteranorum  acredita que as regras são “suficientes” e que “não há risco para os estudantes”. Desta forma, a Praxe Coimbrã será mantida, apesar das praxes de outras universidades portuguesas terem sido canceladas por causa da pandemia.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top