All for Joomla All for Webmasters
Desporto

Briosa assegura os três pontos com primeira parte de categoria

Cátia Beato

Académica teve exibição pobre no segundo tempo, mas assegurou os três pontos. Este é o melhor registo da Briosa à sexta jornada desde a despromoção ao segundo escalão. Texto por Francisco Barata e fotografias por Cátia Beato.

Em mais um jogo a contar para a Segunda Liga, a Académica consolidou o seu bom momento de forma, e venceu o Penafiel por 2-1. Apesar de uma prestação negativa por parte dos estudantes no segundo tempo, em que a equipa penafidelense podia ter conseguido o empate, a Briosa conseguiu assegurar os três pontos ao aproveitar os dois golos marcados na primeira parte. Desde que a Académica desceu ao segundo escalão, este é o melhor registo dos estudantes com seis jogos disputados. Na partida deste domingo, a Académica apresentou duas alterações em relação ao jogo contra o Juventude de Évora para a Taça de Portugal. Saíram Leandro Sanca e Rafael Furtado, e entraram para os seus lugares Mohamed Bouldini e João Mário, sendo que o guineense não compareceu devido a chamada à seleção nacional.

O jogo começou com uma oportunidade flagrante logo nos primeiros segundos para o Penafiel, após erro na defesa por parte da Académica. Contudo, a equipa forasteira não conseguiu aproveitar o erro e atirou ao poste direito com um remate de fora de área. Este lance não seria demonstrativo daquilo que foram os minutos seguintes do jogo, onde a Académica esteve sempre mais próxima da área adversária. Logo aos três minutos, os estudantes estiveram perto de aproveitar uma saída em falso do guarda-redes Luís Ribeiro do Penafiel. Nos momentos seguintes, Bruno Teles teve, num livre e num cruzamento pela esquerda, ocasiões para criar perigo à baliza dos durienses, apesar de não ter tido sucesso nestas ações.

A partir do quarto de hora, a equipa visitante começou a pegar no jogo, à procura de criar perigo à baliza dos estudantes. Contudo, não conseguiu assustar a defesa da Briosa. Foi mesmo a Académica a ter um ataque mais perigoso aos 20 minutos por João Mário, mas que redundou em falta por parte do guineense. Os estudantes chegaram ao primeiro golo aos 24 minutos, após uma bola lançada nas costas da defesa do Penafiel, aproveitada por Guima que assiste da direita para Bouldini finalizar à boca da baliza. O Penafiel conseguiu estar perto do empate logo ao minuto 29 num lance de bola parada. Num livre batido por Paulo Henrique à direita do ataque, Leandro correspondeu com um cabeceamento à barra da baliza de Mika.

O Penafiel continuava a ter mais bola nos minutos a seguir ao golo, mas sem incomodar a baliza academista. Acabaram mesmo por ser os estudantes a ampliar a vantagem no marcador ao minuto 38. Fabiano flete para o corredor central e faz um passe teleguiado para João Mário que, a partir da esquerda, concretiza no um para um com o guarda-redes adversário. Antes do intervalo, a Briosa ainda teve duas chances por Bouldini, que não conseguiu ser eficaz na altura de rematar à baliza do Penafiel. 

A segunda parte teve os durienses mais intensos na procura da baliza adversária, enquanto que a Académica esteve muito mais fechada no seu meio campo e quase sem criar perigo a Luís Ribeiro. Com a entrada de Vitinha para o corredor direito e de Ludovic para o ataque, o Penafiel conseguiu ser mais letal na altura de atacar a baliza da Académica.

A equipa visitante teve logo nos primeiros minutos da segunda parte várias chances para fazer golo, criando perigo com Mateus e Ludovic. A Académica também se mostrou nervosa com as várias investidas do Penafiel, acabando mesmo por dar uma grande oportunidade ao adversário após perda de bola de Rafael Vieira em terreno proibido. Os estudantes tiveram ainda uma boa situação aos 52 minutos por Bouldini num contra-ataque, mas este foi inconsequente. Viria a ser o Penafiel a chegar ao tão desejado golo, após cruzamento da direita e um bom entendimento coletivo à entrada da área por parte dos penafidelenses. Gustavo Henrique, oportuno, remata sem hipóteses para o guarda-redes e reduz a vantagem dos estudantes no marcador.

O Penafiel após o golo, continuou à procura do empate no jogo. Ludovic era dos jogadores mais esclarecidos no ataque visitante, com cruzamentos que geravam algum desconforto na defesa da Briosa. Mateus e Gustavo Henrique eram os jogadores que tentavam concretizar as oportunidades criadas pelo número sete dos durienses. Mateus teve mesmo uma ocasião flagrante à direita do ataque, mas no momento de rematar atirou à malha lateral da baliza à guarda de Mika. No minuto seguinte o Penafiel viria a ter nova situação de perigo, com um livre de Ludovic que bate na barreira da Académica mas que na recarga Coronas atira para boa defesa do guarda-redes dos estudantes.

Nos últimos minutos do jogo, o Penafiel manteve-se como a equipa que estava mais perto de fazer golo. Apesar da insistência da equipa visitante, que nunca desistiu de procurar o empate com cruzamentos de Vitinha e Paulo Henrique, a Académica conseguia segurar a vantagem no resultado. O recém-entrado Bruno César ainda teria uma oportunidade num livre à entrada da área dos estudantes ao minuto 87, mas este rematou ao lado da baliza. O resultado final viria mesmo a ser 2-1 para os estudantes, apesar de algumas investidas de Ludovic nos últimos minutos que não chegaram a incomodar a defesa da Briosa.

Na conferência de imprensa, o técnico do Penafiel salientou a oportunidade logo nos primeiros segundos da sua equipa que podia ter mudado o rumo do jogo. Contudo, não deixou de destacar a segunda parte dos durienses, que com “mais eficácia, teria sido espetacular”. Apesar de reconhecer que os golos é que contam, Pedro Ribeiro elogiou a atitude dos jogadores na segunda parte, que “deram tudo o que podiam”.

Rui Borges, por seu lado, valorizou a prestação dos seus atletas na primeira parte, em que a Académica conseguiu sair a ganhar “muito bem para o intervalo”. No entanto, considerou a performance dos seus jogadores no segundo tempo “horrível”, e confessou que os sentiu “intranquilos e muito lentos a recuperar os espaços”. “Uma equipa com o prestígio da Académica não pode ter uma exibição como aquela que tivemos na segunda parte”, rematou.

O jogador Ricardo Dias também marcou presença na conferência de imprensa, e concordou com o treinador ao dizer que a Académica não pode ter “segundas partes como estas”. Quando questionado sobre o ambiente no balneário da equipa, o médio da Briosa adiantou que é “muito positivo e que o grupo é equilibrado”, além de ressalvar que sempre teve ótimos grupos desde que chegou à Briosa.

O próximo jogo da Académica vai ser no terreno do recém-promovido Vizela no dia 24 de outubro às 11 horas. Com esta vitória, a Académica sobe ao quarto lugar, com 11 pontos em seis jogos.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top