All for Joomla All for Webmasters
Ensino Superior

QF’20: Abaixo-assinado contesta redução do número de latas no cortejo

Cátia Beato

Redução do número de latas leva à génese de uma petição por parte de estudantes. Mais de 1600 assinaturas foram recolhidas. Por Cátia Beato

O abaixo-assinado que tem circulado pelos estudantes de Coimbra, desde finais de fevereiro, tem como objetivo contestar o artigo do Regulamento do Cortejo da Queima das Fitas 2020 que limita a mil a quantidade de latas por carro. De forma a zelar pela segurança de todos os finalistas como também de quem acompanha o percurso do cortejo, os académicos propuseram à Comissão Organizadora da Queima das Fitas (COQF) algumas medidas para prevenir atos de violência que possam decorrer durante a festividade.

A colocação de pontos de recolha durante todo o cortejo, a entrega de prémios a quem recolher mais lixo e o aumento do limite máximo de latas de cerveja para três mil são as medidas propostas no abaixo-assinado. Para os estudantes que redigiram o documento, apesar de a luta por um desfile mais ecológico e seguro ser nobre, esta pode vir a gerar mais violência devido à drástica redução de latas.

Segundo o dux veteranorum do Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra – Magnum Concilium Veteranorum (MCV), Matias Correia, esta era uma visão que estava a ser discutida há bastante tempo. “Recebemos várias queixas de que havia um grande desconforto”, refere o dirigente. Matias Correia declara que a questão do número de latas por carro era o “principal foco”.

O presidente da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC), Daniel Azenha, admite que não sabe quem teve a iniciativa. Na sua opinião esta é uma “postura vergonhosa” adotada por quem está encarregado com a venda das latas. Infere, no entanto, que este é um lugar confiado a Alexandre Mota Longo, intermediário na montagem dos carros do cortejo da QF. Alexandre Mota Longo foi ainda um dos subscritores do abaixo-assinado e quem entregou pessoalmente o documento ao dux veteranorum.

Para Alexandre Mota Longo, após várias discussões tomadas em conjunto com o dux veteranorum, considerou-se que seria mais seguro se o número de latas estivesse acima do que tinha sido decretado no regulamento. “Não estamos preocupados com as latas, mas com a segurança em si”, solidifica o subscritor.

O documento elabora ainda que a colaboração por parte dos condutores dos carros ficaria comprometida com a redução original. Isto advém do facto de a mudança gerar um “descontentamento da população em não ter bebidas gratuitamente”. Os signatários asseveram ainda: “[S]em carros, não há cortejo!”.

A proposta feita à COQF’20 é apenas relativa ao desfile deste ano, sendo que os reclamantes aceitam quaisquer ajustes que se possam fazer para 2021. No documento, vinca-se um desejo de que o cortejo da QF seja “marcante para todos os estudantes e visitantes, sem violência, sem incêndios e com uma redução significativa de lixo na via pública”.

O MCV desde o início teve conhecimento deste abaixo-assinado, mas não vai reagir antes de o revelar primeiro através de um comunicado “que será discutido e apresentado perante todo o conselho”, declara Matias Correia.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top