All for Joomla All for Webmasters
Cidade

Galeria de arte contemporânea toma conta da Sala da Cidade

Câmara Municipal de Coimbra promove exposição de arte contemporânea com o intuito de desenvolver a atividade cultural. Obras são doadas por artistas ligados ao Círculo de Artes Plásticas de Coimbra. Por Francisca Soeiro

A arte contemporânea tem morada na cidade de Coimbra até ao dia 20 de março, incorporada na exposição “Sob o signo de Saturno ou a permanência de uma ideia improvável”. A organização ficou a cargo da Câmara Municipal de Coimbra, que tomou a iniciativa de convidar o CAPC, a expor algumas das obras da nova coleção na Sala da Cidade. Os trabalhos expostos foram doados por artistas ligados ao CAPC, tais como Anna Boghiguian, António Barros, Belén Uriel, Cadu, Isaura Pena, José Spaniol, Luís Felipe Ortega, Rubene Palma Ramos e Jorge das Neves.

O CAPC foi criado por estudantes de Coimbra e é a mais antiga instituição nacional ligada ao fomento da arte contemporânea. Não tem fins lucrativos e distingue-se de outras organizações em Portugal pela promoção da cultura contemporânea e sensibilização dos cidadãos para as artes. Presentes na inauguração estiveram a vereadora da Câmara Municipal de Coimbra, Carina Gomes, , o diretor do CAPC, Carlos Antunes, arquiteto e docente no departamento de arquitetura da UC e ainda António Barros, um dos autores de uma das obras expostas.

Debaixo da cúpula da Sala da Cidade, dá para notar o contraste entre um espaço mais antigo e a inovação e criatividade presente nas obras expostas. Exemplo disso mesmo é a obra de Anna Boghiguian, que faz lembrar o processo de vida natural a partir de um cenário verde de cactos sobre uma camada rasa de terra. Nesse jardim estão escritas várias frases que convidam à reflexão do começo da natureza e do planeta.

A Sala da Cidade foi o espaço escolhido para acolher a apresentação, uma vez que é atualmente uma galeria de exposições: “Esta sala era um antigo refeitório dos frades do Mosteiro de Santa Cruz que a Câmara Municipal transformou em galeria de arte”, explica Carina Gomes. A vereadora refere que a Câmara Municipal convida a serem expostas neste local exposições que tenham alguma ligação à cidade de Coimbra. É o caso do CAPC: “Nós pedimos que com o seu espólio preparasse uma exposição para esta sala. Estamos na presença de obras, na maior parte doadas, que o diretor Carlos Antunes escolheu para estarem aqui”, conclui.

Carlos Antunes mostra-se agradecido pelo convite da Câmara Municipal de Coimbra e refere que este “é um sinal de reconhecimento do trabalho que o círculo tem feito em favor da presença e da inscrição da arte contemporânea”. O diretor do CAPC reforça ainda que todas as peças resultam de doações. “Não há nenhuma peça comprada. São tudo peças doadas por artistas que têm uma relação com o CAPC. Este convite é o reconhecimento desta nossa atividade em favor da cidade. É muito importante dar este sinal de vitalidade pois o círculo apesar de ter 60 anos continua a renovar-se todos os dias e a propor desafios novos à cidade”.

Um dos artistas visados na exposição, António Barros explica que esta iniciativa é importante para a cidade de Coimbra: “Todas as atividades culturais e artísticas são fundamentais para a cidadania e para a educação. Por isso, Coimbra, uma cidade universitária de modo identitário e distintivo, é um lugar de excelência no sentido de formar a pessoa para uma cidadania melhor que promova a defesa do planeta”.  A obra do artista tem uma relação com o meio ambiente, e é das que mais se destaca uma vez que representa aspersores de rega ao lado de um chão molhado propositadamente.

Todas as outras peças têm também uma forte ligação ao ambiente e exemplo disso são os materiais com que algumas das peças são construídas, a madeira, ou a enorme rocha que ocupa o centro da sala.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top