All for Joomla All for Webmasters
Ciência & Tecnologia

Farmácia: ponte entre saúde e sociedade

Carina Costa

Doente deve ser principal preocupação do farmacêutico. Iniciativa da ANAI ajuda a desmistificar a ciência. Por Carina Costa e Mafalda Pereira

A utilização correta dos medicamentos e a responsabilidade da profissão foram questões abordadas esta tarde na Universidade do Tempo Livre (UTL) da Associação Nacional do Apoio ao Idoso (ANAI). Maria Margarida Caramona, professora jubilada da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (UC) deu voz à palestra “A farmácia clínica e a ligação Saúde-Sociedade”, integrada no Ciclo de Conferências “Ciência é Cultura”.

A sessão contou com a presença de profissionais da área farmacêutica e estudantes da UTL. Maria Caramona explicou a ligação entre saúde e sociedade, “a doença é um fenómeno ligado à vida humana e todos podem precisar de tomar um medicamento”, constata.

A professora realça ainda a responsabilidade que a farmácia tem no sistema de saúde, uma vez que o farmacêutico é um prestador de cuidados específicos e qualificados. A preparação, distribuição e entrega de medicamentos obedece a princípios de qualidade e boas práticas que têm de ser cumpridas. “A farmácia é a arte de preparar e distribuir medicamentos e a preocupação profissional de um farmacêutico tem de ser o doente”, esclarece a oradora.

Maria Margarida Caramona aponta que todos os cidadãos portugueses têm direito à proteção da sua saúde através do Serviço Nacional de Saúde, que foi “das melhores coisas que o 25 de abril trouxe”, defende. Acrescenta que a função do farmacêutico é estar atento às particularidades do paciente, de modo a melhorar a qualidade de vida do mesmo.

O Ciclo de Conferências “Ciência é Cultura” foi criado por Helena Caldeira, professora do departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC. Com sessões mensais, a iniciativa pretende levar tópicos do saber científico aos estudantes da UTL, com oradores de diferentes áreas. Helena Caldeira referiu ainda que desde que integra a direção da ANAI, notou a falta do ramo cientifico nas universidades seniores. Um dos objetivos é tentar que as pessoas percam o medo da ciência e a ideia de que esta é só para os cientistas, esclarece a professora.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2018 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top