Cultura

Coimbra Dança em Abril

D.R.

Festival organizado pelo TAGV celebra a dança. Escolas da região têm papel ativo no projeto. Por Júlia Fernandes

A dança nasceu na antiguidade e, desde então, é uma das três principais artes cénicas do mundo. Como uma das primeiras formas de expressão do ser humano, pode ser observada em rituais religiosos, festas e celebrações. Esta expressão artística atemporal tem o seu dia celebrado hoje, 29 de abril – o Dia Mundial da Dança. Sabendo disso, o Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), em parceria com o Convento de São Francisco e a Câmara Municipal de Coimbra, homenageou a data com um mês inteiro de comemorações, através do Festival Abril Dança.

A iniciativa contou com a exibição de filmes, documentários, ‘workshops’ e espetáculos, de forma a celebrar a manifestação artística. O objetivo é trazer conhecimento do panorama nacional e internacional da dança à comunidade conimbricense. O diretor artístico do fetival e do TAGV, Fernando Matos Oliveira, conta que a ideia do festival estender-se durante todo o mês nasceu da necessidade de ter mais eventos do género na cidade.

O festival contou com momentos para comentários e diálogos com artistas e coreógrafos, procurou-se criar uma proximidade com o público, explica o diretor artístico. Fernando Matos Oliveira acredita que a dança contemporânea é uma arte “muito inclusiva”. Segundo o diretor, isto é explicado pelo facto de passar pela cultura urbana, cinema, televisão, de forma a atingir diferentes espaços interculturais.

Foram realizados eventos com nomes muito conhecidos da coreografia e ‘ballet’ português, como Olga Roriz, Paulo Ribeiro e Clara Andermatt. Além de outros artistas menos famosos, que de acordo com Fernando Matos Oliveira, foram “surpreendentes e fizeram grandes espetáculos”. O diretor explica que este foi o motivo de uma adesão variada aos eventos, mas que é “normal em festivais” alguns projetos terem mais adeptos que outros.

A 4ª edição do festival fez parceria com dez escolas e instituições de dança da região, no projeto “Sai da Aula e Dança”. Os estudantes criaram e apresentaram peças coreografadas inéditas para o festival. O diretor artístico alega ter sido uma oportunidade para incluir os pais e alunos à iniciativa e, também, “pôr as escolas em contacto umas com as outras”. Esta foi a primeira vez que convidaram as instituições para “serem as próprias protagonistas do espetáculo”, acrescenta. O acompanhamento do festival com os projetos escolares é uma relação que o Abril Dança pretende aprofundar mais nas próximas edições, de forma a trabalharem de forma mais conjunta, afirma Fernando Matos Oliveira.

Para o encerramento do festival, o TAGV exibe hoje dois documentários: “A Dança – Le Ballet de L’opéra De Paris” e “Pina”. O primeiro, já apresentado às 18h, acompanha os bastidores de uma das companhias de ‘ballet’ mais influentes do mundo, o da Ópera de Paris. O filme segue a rotina da academia e a construção de sete espetáculos. Já a segunda exibição conta a vida e carreira da dançarina, coreógrafa e diretora de ballet alemã Pina Bausch. Fernando Matos Oliveira explica que, por não terem uma programação de cinema às segundas-feiras, optaram por criar uma voltada a esta temática. A partir disso, escolheram Pina Bausch como figura central, tendo em conta que a dançarina “teve um papel, em particular na Europa, fundador da dança contemporânea, traçou gerações e é inspiração para muitos coreógrafos e bailarinos”, relata o diretor do TAGV.

Por fim, o diretor artístico afirma já estarem a trabalhar na próxima edição e revelou-se satisfeito com o desenvolvimento do projeto, que deve ser “aprofundado” para o ano.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top