Desporto

Atleta de rugby da AAC medalhado a nível europeu

D.R. (Federação Portuguesa de Rugby)

Estudante do Ensino Secundário concilia os estudos com o desporto. Topê Campos considera que a modalidade deveria ser mais valorizada em Portugal. Por Beatriz Furtado

Aos dois minutos de jogo, a Seleção Nacional de sub-18 de rugby estreou o marcador na disputa pelo terceiro lugar do “Rugby Europe U18 Championship”. Após lhes ter escapado a luta pelo ouro, os Lobinhos conquistaram o bronze frente aos anfitriões no passado sábado, dia 20 de abril, em Kaliningrado, Rússia.

Integrou esta equipa o agora mais recente medalhado e internacional da Associação Académica de Coimbra (AAC), António Campos. Mais conhecido por “Topê”, o atleta de 17 anos tenta conciliar os estudos com a sua modalidade predileta. Conta que a convocação foi uma grande surpresa por ainda ser sub-18 de primeiro ano.

Como foi ser convocado para representar Portugal e a Académica no Campeonato Europeu de Rugby sub-18?

Foi muito bom. Não estava nada à espera de ser convocado e foi uma grande surpresa, mas fiquei muito feliz. A AAC é o meu clube, é o clube que eu visto e foi um grande orgulho ir representá-lo lá fora e conseguir, ainda por cima, uma medalha.

O que é que implicou a competição a nível de viagens, jogos e treinos?

Era muito cansativa. Todas as quartas-feiras tinha de ir para Lisboa treinar com viagens um bocado longas. Tinha que treinar muito mais do que qualquer outro jogador para conseguir conquistar o lugar. Foi muito intenso, mas valeu a pena.

Como é que consegues conciliar o rugby com os teus estudos?

É difícil, mas também é uma das coisas que o rugby e, neste caso, o desporto ensina a todos os atletas. Temos de criar rotinas, saber gerir o nosso tempo e conciliar tudo. Não é fácil, mas consegue-se sempre arranjar tempo para qualquer coisa. Acabo por estudar muito ao fim do dia, mas é um sacrifício que tenho de fazer para conseguir conciliar os dois.

O que achas da visibilidade que o rugby tem em Portugal?

Acho que devia ser um desporto mais valorizado. Cá existe uma grande cultura de futebol e sinto que muitos talentos no rugby são desperdiçados. Penso que é um desporto que podia ter muito mais sucesso nacional se se investisse mais nesta modalidade. Infelizmente, não tem o devido reconhecimento por não ter tanta visibilidade como o futebol, por exemplo.

Planeias continuar a praticar rugby após o secundário?

Sempre, sempre, não vou desistir. 

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top