All for Joomla All for Webmasters
Desporto

Briosa sem Pena(fiel)

Maria Luísa Calado, Sofia Gonçalves, Carolina d’Oliveira e Patrícia Silva

Académica imbatível, em casa, há dois meses e meio. Jogo marcado por dois vermelhos para os forasteiros. Texto e fotografias por Maria Luísa Calado, Sofia Gonçalves, Carolina d’Oliveira e Patrícia Silva

Esta tarde de sábado marcou o regresso dos estudantes à sua fortaleza, após a derrota fora com o Estoril, perante 2622 espectadores. A Briosa, em quinto lugar na tabela classificativa, recebeu a formação do Penafiel, oitavo classificado, em encontro a contar para a 24ª jornada da Ledman LigaPRO. O treinador da Académica, João Alves, apostou na tática habitual com três alterações no 11 inicial em relação ao último jogo: Joel, Fernando Alexandre e Jonathan Toro.

Após o pontapé de saída, os estudantes foram assumindo a sua posição no meio campo ofensivo. No entanto, revelavam dificuldades na finalização, face a um Penafiel com uma defesa consistente. À passagem dos dez minutos de jogo, surge a primeira oportunidade do encontro, com os forasteiros a testarem a atenção de Peçanha, por intermédio de Ludovic. A Académica responderia com uma iniciativa de Júnior Sena, defendida por Ivo, guarda redes do Penafiel.

Com o cronómetro a passar a marca dos 20 minutos, a formação visitante já contava com três cartões amarelos mostrados pelo árbitro da partida, André Narciso – Romeu Ribeiro (5’), Tiago (19’) e Luís Pedro (22’). A dureza dos homens forasteiros era prenúncio para o desnorte ocorrido na segunda parte. O resto da primeira parte não teve grande história, com o domínio a ficar repartido, tal como as escassas oportunidades sucedidas, com as equipas a regressarem aos balneários com o marcador a zero.

A segunda parte iniciou de forma dormente, tal como o final da primeira parte. Aos 57’ dá-se a primeira alteração do encontro. Fernando Alexandre, que tinha visto o cartão amarelo dois minutos antes, deu o lugar a Reko. Momentos depois, o Penafiel ficou reduzido a dez unidades.  Tiago Ronaldo acumula o segundo amarelo, após entrada dura sobre o Jonathan Toro, e recebe ordem de recolha aos balneários.

Com o jogo a ficar partido a meio-campo, a Académica fez abanar as redes adversárias pela primeira vez. Romário Baldé cabeceou de forma certeira, contudo, no seguimento de uma falta assinalada a Djoussé, o árbitro invalidaria o tento. Seguir-se-iam três minutos alucinantes, com o Penafiel a forçar Peçanha à defesa da tarde e, no contra-ataque, a Académica a chegar finalmente ao primeiro golo da partida. Júnior Sena conduziu a jogada, Djoussé cruzou rasteiro na esquerda e Jonathan Toro apareceu à boca da baliza, a empurrar para o golo.

A jogar com dez, e com uma posição incómoda na tabela classificativa, o treinador dos visitantes, Armando Evangelista, tentou incutir mais ímpeto ofensivo à sua equipa, ao escolher Yuri Araújo para o lugar de Pires e Pedro Lemos na posição de Hélio Cruz. Os visitantes igualariam a partida após um remate de Fábio Abreu, à entrada da área, no seguimento de uma perda de bola de Djoussé, em zona proibida.

Perante a insatisfação das bancadas e a necessidade de assegurar os três pontos decorrentes da vitória, o treinador da Briosa faz as últimas trocas em que Diogo Ribeiro e Marinho entram, de forma respetiva, para substituir Joel e Romário. A saída do lateral esquerdo estudantil levou ao recuo de Júnior Sena para a posição, no sentido de explorar a sua velocidade a partir do sector mais recuado.

Aos 83 minutos, na sequência de um centro da esquerda do ataque estudantil, Djoussé é travado em falta por um defensor do Penafiel. Perto do lance, André Narciso esperou uns segundos e, por indicação do auxiliar, acabou por assinalar grande penalidade. Chamado a converter, Yuri Matias não perdoou, enganando Ivo e colocando o marcador em 2-1.

A perder, Armando Evangelista lançou para a partida o camisola 49, Rui Areias, numa última tentativa de refrescar o ataque e chegar, de novo, à igualdade. O confronto terminaria com a equipa visitante reduzida a nove jogadores, depois da entrada agressiva de Vinicius sobre Jonathan Toro, o que levou à expulsão do defesa central do Penafiel.

A conferência de imprensa teve um início pouco habitual, onde o presidente do Penafiel marcou presença na sala. Começou por parabenizar a Mancha Negra, pelos seus 34 anos de existência, reiterando que “é importante que os adeptos sigam o clube da sua terra”. António Gaspar Dias expressou o seu descontentamento para com a equipa de arbitragem, que considerou “não estar à altura de ambas as sociedades desportivas”. Por fim, pediu aos adeptos que, apesar de tristes, não abandonem a equipa nos momentos de maior dificuldade.

Armando Evangelista, timoneiro dos visitantes, reconheceu que, de todas as deslocações, foi um dos jogos mais bem conseguidos. Declarou a sua equipa como a superior na partida, mesmo com menos um jogador. Com os olhos postos no futuro, o treinador referiu que o Penafiel “só quer olhar para cima”, deixando em aberto a possibilidade de chegar ao quinto lugar. O técnico da Briosa, João Alves, rotulou a partida como complicada onde, apesar das adversidades, a Académica “conseguiu dar a volta”.  Realçou o esforço dos seus jogadores que não são derrotados em casa “há cerca de dois meses e meio”.

Desta forma, a Briosa ocupa, de forma provisória, a quarta posição na tabela classificativa, com 40 pontos. No próximo dia 10 de março, os estudantes deslocam-se a Viseu, para um duelo com o Académico local.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2018 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top