All for Joomla All for Webmasters
Desporto

Golo a golo se cria uma fortaleza

Académica volta às vitórias em casa. Hugo Almeida decide jogo nos últimos minutos. Texto e fotografias por Vasco Borges, Rafaela Chambel e Beatriz Furtado

Cerca de três mil pessoas assistiram, esta tarde, à vitória da Académica por 1-0 frente ao Farense. João Alves realizou quatro alterações em relação ao jogo disputado com o Benfica B, face ao castigo de Guima e às lesões de Zé Castro, Júnior Sena e Djoussé. Apesar das ausências, a Briosa acabou por dominar, ainda que o jogo não tenha sido brilhante.

Após o apito inicial, as primeiras notas positivas pertenceram aos homens da casa, com mais posse de bola, mas sempre com ataques muito inconsequentes. O corredor direito foi o mais utilizado para as iniciativas ofensivas, com Jean Filipe a conseguir criar alguns desequilíbrios. O lateral direito brasileiro, utilizado por João Alves de modo preferencial no meio-campo, ocupou desta vez o lugar que tem pertencido a Traquina, com o português a avançar no terreno.

Foi após uma sucessão de cantos que a Académica criou perigo pela primeira vez, num cabeceamento de Yuri Matias, a que se seguiu, minutos depois, um chapéu de Hugo Almeida. O antigo internacional português, servido por Romário Baldé, acabou contudo por fazer passar a bola por cima da baliza à guarda de Hugo Marques.

A partida continuou a ser dominada pela Académica até perto da meia-hora de jogo, quando os visitantes acordaram. Contudo, foi apenas através de um livre de Jorge Ribeiro que os algarvios obrigaram Peçanha à primeira defesa da tarde. Até ao intervalo, os estudantes voltaram a ter o controlo do jogo, mas o nulo manteve-se.

A segunda parte trouxe uma nova atitude por parte dos algarvios, ainda que sem grandes resultados – João Alves, prevendo isso mesmo, optou por deixar Reko nos balneários, lançando para o seu lugar Fernando Alexandre, por forma a assumir um controlo mais musculado da zona central do meio-campo. Com o consequente abrandar do ritmo do futebol jogado, só aos 60 minutos é que a partida voltou a prender os adeptos, com um cabeceamento de Yuri travado por uma defesa vistosa do guardião do Farense.

Aos 76´, Romário Baldé cai na grande área e João Capela assinala grande penalidade, que gerou grande contestação dos jogadores e equipa técnica do Farense, com o seu treinador, Álvaro Magalhães, a ser um dos mais inconformados. Chamado a converter o castigo máximo, Hugo Almeida rematou rasteiro e forte, com a bola a ficar prensada por baixo de Hugo Marques.

Com o empate a manter-se, apareceu a costumeira táctica do anti-jogo, com o guardião algarvio a atirar-se sozinho para o chão, após um cabeceamento do recém-entrado Diogo Ribeiro por cima da barra. Com Hugo Marques a solicitar assistência médica, o árbitro João Capela assinalou, por gestos, que o tempo perdido seria compensado no final. O ataque da Académica continuava a mostrar-se inconsequente até que, aos 87 minutos, surge o golo da vitória. Na sequência de uma bola parada na esquerda do ataque dos estudantes, Romário Baldé cruza para a entrada da grande área onde, após uma série de ressaltos, João Real remata para defesa de Hugo Marques. Descaído sobre o vértice direito da pequena área, Hugo Almeida surgiu livre de marcação a aproveitar o ressalto e rematar para o fundo das redes, levantando o Estádio Cidade de Coimbra.

Nos últimos minutos, o Farense foi à procura do empate, mas sem situações relevantes de perigo. Já em tempo de compensação, a partida ficaria marcada pelas agressões entre Hugo Almeida e Irobiso, que resultaram na expulsão de ambos por vermelho direto.

Na conferência de imprensa, Álvaro Magalhães queixou-se da arbitragem e defendeu que poderia ter vencido num lance de contra-ataque, que apanharia a equipa contrária desprevenida. O técnico dos algarvios considera que o plantel está a trabalhar bem e que os próximos jogos serão decisivos para garantir a permanência na Segunda Liga.

João Alves começou por dedicar a vitória a Frederico Rosa, antigo companheiro de equipa, que faleceu este domingo. Em relação ao jogo, considerou que a vitória foi justa e representa “mais uma pedra na fortaleza da Académica”. Salientou a grande entrega dos jogadores para ultrapassar as adversidades criadas pelas ausências e pelo Farense. Acrescentou ainda que a expulsão de Hugo Almeida e o quinto amarelo para Jonathan Toro se vão fazer notar no próximo jogo. Com esta vitória, a Académica igualou o Estoril, no quarto lugar do campeonato, com 37 pontos, o adversário da próxima jornada, dia 24 de fevereiro às 20 horas. Na luta pela subida, os estudantes mantêm-se a sete pontos do segundo classificado, o Famalicão, que venceu este sábado o Académico de Viseu por 3-2.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2018 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top