All for Joomla All for Webmasters
Desporto

Infelicidade da Académica ao apagar das luzes resulta em nova derrota

Saul Denofre e Gabriella Kagueyama

Noite fria, no Estádio de Coimbra, encerrou com triunfo dos visitantes. Auto golo de Zé Castro selou o desaire. Por Saul Denofre e Gabriella Kagueyama  

Próximo dos 3300 espectadores, o jogo iniciou-se com o Famalicão FC a deter a bola em zona ofensiva. Foram seis os minutos que a Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol (AAC/OAF) demorou a conseguir o seu primeiro ataque, por intermédio de Romário. Pouco depois, o camisola 17 da Briosa, atraiu a atenção dos adeptos com uma jogada individual, que culminou numa finalização perigosa. A equipa adversária, por sua vez, teve o primeiro remate aos 11’.

À passagem do minuto 20, os “estudantes” conquistaram uma oportunidade soberana para inaugurar o marcador. Júnior Sena carregou o esférico sozinho desde o meio campo, no entanto, face a Rafael Defendi, não foi capaz de concretizar. Aos 22’, o Famalicão respondeu com um remate perigoso, que acabou desviado. Na cobrança do pontapé de canto, a ineficácia por parte da defesa da Briosa, resultou numa oportunidade de golo para a equipa adversária.

No quarto de hora final da primeira parte, a AAC/OAF voltou a protagonizar dois lances de perigo. Após jogada de habilidade, Romário passou a bola para Júnior Sena, que rematou fora do alcance do guarda redes. Contudo, o esférico foi afastado, de cabeça, pela linha defensiva famalicense. Logo de seguida, Djoussé ganhou espaço pela esquerda e rematou cruzado para boa intervenção de Rafael Defendi.

No segundo tempo, a partida manteve-se equilibrada. A Académica continuou a apostar no contra-ataque e aos 64’, Romário Baldé transportou a bola até a entrada da área adversária e desferiu novo remate, que quase beijou a trave do Famalicão.

Aos 80’, o treinador da Briosa, João Alves, aposta em Marinho para substituir o lesionado Djoussé. Pouco depois, Rúben Saldanha faz o esférico encontrar o travessão da baliza de Rafael Defendi pela primeira vez. Os adeptos presentes animaram-se, ao sentir que o golo poderia aparecer. Em poucos minutos, Marinho justificou a aposta do técnico da AAC/OAF, com um cabeceamento perigoso, para nova defesa do guardião da formação nortenha.

No último lance dos descontos, aos 95’, após falta cobrada no meio de campo, Zé Castro, numa tentativa de cortar a bola, acabou por empurrá-la para dentro da própria baliza. Os forasteiros encerram a noite fria na cidade dos estudantes com vitória, e ascendem à liderança do campeonato. O auto golo acabou por demarcar “uma noite inglória” para a Briosa, segundo o treinador João Alves.

Na conferência de imprensa, o técnico da Académica admitiu estar aborrecido com o resultado. “Podíamos e devíamos ter goleado o Famalicão”, frisa. No entanto, João Alves mostrou contentamento com a exibição dos seus atletas. “Apresentamos futebol de Primeira Liga”, reitera. Da parte do Famalicão, o treinador Sérgio Vieira, ressaltou o facto da equipa completar três partidas sem sofrer golos. “Temos um plantel dedicado, com a certeza que vai lutar pelo título”, conclui.

Após novo desaire, a Briosa ocupa a 11ª posição da ‘Ledman LigaPro’. O próximo jogo da AAC/OAF realiza-se no próximo domingo, dia 23 de dezembro, no reduto do CD Mafra.

 

Fotografias por Saul Denofre e Gabriella Kagueyama   

Este slideshow necessita de JavaScript.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2018 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top