All for Joomla All for Webmasters
Ensino Superior

Pedro Chaves propõe-se a liderar a DG/AAC

Samuel Santos

“Mudança na Académica” é a promessa do candidato. Descontentamento com a atual gestão motivou-o a concorrer. Por Maria Luísa Calado e Gabriel Rezende

Pedro Chaves anunciou, esta terça-feira, a sua candidatura, com o lema “Mudança na Académica – A tua alternativa”. Estudante do terceiro ano da licenciatura em Filosofia, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, mostra oposição às “listas de continuidade”. O candidato pretende acabar com regalias e instaurar “rigor e transparência” na Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC).

Um dos principais objetivos da lista que representa é promover a aproximação entre a AAC e os estudantes. Acredita que a atual direção do órgão está “fechada sobre si”. Como solução, propõe a união dos universitários em torno de causas relevantes, como “a redução das propinas, a luta por mais atribuições de bolsas e financiamento ao Ensino Superior”.

“A Associação Académica de Coimbra é dos estudantes” e, por isso, surge, para o candidato, a necessidade de repensar os espaços atribuídos às secções e ao comércio. “Há secções que não têm sequer um espaço no edifício sede, como é o exemplo da Secção Experimental de Yoga”. A solução, segundo o candidato, passa por acabar com o espaço comercial no primeiro piso do edifício.

O estudante de Filosofia destaca a criação de uma bolsa de mérito aos estudantes com atividade associativa. A atribuição da bolsa, no valor de 500 euros anuais, vai incidir sobre “um máximo de 20 estudantes”, afirma. A seleção seria baseada entre as médias obtidas no Ensino Superior e o trabalho desenvolvido dentro de uma secção da AAC. Para adequá-lo ao orçamento da casa, o candidato sustenta a hipótese a partir do lucro da Queima das Fitas (QF), para além de apostar “numa redução do orçamento desta iniciativa”.

O candidato à presidência da DG/AAC declara que a lista tem “enorme preocupação com as discrepâncias” dos relatórios fiscais da QF dos últimos anos. Pedro Chaves critica o atual modelo de organização do evento e visa “uma Queima das Fitas mais próxima dos estudantes e das secções culturais”. O candidato defende que “a AAC deve passar a ser a única entidade tutelar da QF” e recomenda o afastamento do Conselho de Veteranos da organização da iniciativa.

Pedro Chaves pretende, em caso de vitória, criar uma plataforma de debate entre os estudantes, com a realização de conferências onde vão estar presentes oradores especializados. Os temas seriam definidos a partir da “sugestão dos estudantes e da pertinência dos assuntos”. “Queremos mobilizar a nossa geração para a construção de um país mais humano e mais justo”, explica.

A sua candidatura pauta pelo “distanciamento das atuais políticas da DG/AAC”, ao protagonizar a criação de “um novo movimento estudantil” em Coimbra. “Nós somos a única alternativa com que os estudantes podem contar para haver uma real mudança na Academia”, reitera.

[atualizado a 17/10 às 19h05]

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top