All for Joomla All for Webmasters
Ciência & Tecnologia

IPC reaproveita resíduos alimentares com projeto inovador

Fotografia gentilmente cedida por Nuno Ribeiro

ESAC está a desenvolver um projeto piloto para a reutilização dos resíduos alimentares da cantina. Inseto está a ser utlizado na bioconversão dos vegetais não processados. Por Paulo Cardoso e Mariana Nogueira

O Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) lançou, no início deste ano, um projeto pioneiro, que envolve o reaproveitamento de resíduos alimentares não processados da cantina da Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC). A mosca soldado negro, neste processo, é fonte alternativa de proteína para a alimentação animal.

Este projeto vem dar resposta à preocupação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) em relação ao crescimento da população, que põe em causa os recursos alimentares existentes. Nuno Ribeiro, um dos responsáveis pela investigação, revela que a ideia surgiu a partir de um relatório emitido pela FAO que “propôs os insetos como fonte proteica do futuro”. O investigador refere ainda que a mosca soldado negro tem uma “capacidade enorme de converter resíduos em proteína”.

A ser desenvolvida na ESAC, esta ação encontra nas suas instalações as condições para a “produção de moscas” e “instalação das larvas que fazem o processamento dos resíduos”, conta Nuno Ribeiro. Conta que, neste momento, a mosca Hermetia illucens é o único inseto envolvido. O investigador explana ainda que “esta é uma fase primária que está a iniciar a estação de reprodução e o desenvolvimento das moscas para atingir uma população estável e suficientemente grande”.

Esta iniciativa, segundo Nuno Ribeiro, “não está ainda muito disseminada” e por isso não conta com o envolvimento de alunos da ESAC. Envolvidos neste plano, estão o docente Rui Costa do departamento alimentar da ESAC e o investigador Nuno Ribeiro, bolseiro do projeto. No entanto, Nuno Ribeiro não descarta a hipótese de, no futuro, estabelecer colaborações com estagiários das escolas de Coimbra.

A equipa de investigação está ainda a estudar os parâmetros biológicos e bioquímicos da mosca para otimizar o processo e aumentar a eficiência da operação de gestão de resíduos. Este projeto conta somente com o financiamento do IPC.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2018 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top