All for Joomla All for Webmasters
Cidade

Caridade “sem preço estipulado”

Praça 8 de Maio acolhe evento solidário. O dinheiro é transformado em géneros, que são oferecidos à instituição Casa da Mãe. Por Catarina Magalhães

A Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra (EHTC) promove a terceira Colher de Pau Solidária. O evento ocorre em parceria com a Agência para a Promoção da Baixa de Coimbra. A iniciativa conta com a participação de alunos finalistas de Gestão e Produção de Cozinha, no âmbito do módulo de Técnicas de Organização de Eventos.

Tanto os alunos como o cozinheiro e formador Flávio Silva são voluntários. Flávio Silva refere que é necessário oferecer “um bocadinho às pessoas para elas ajudarem e perceberem o que é importante”.

As duas bancas, situadas à frente do Café Santa Cruz, têm tido alguma adesão. Diogo Dias, aluno da EHTC, assinala que até “turistas japoneses e brasileiros” aderiram. A adesão foi maior da parte da manhã, mas com a nova fornada de doces tradicionais, as expectativas eram altas a partir das “três da tarde”.

Flávio Silva assinala que “as pessoas ainda estão a tentar perceber o que aquilo é”. No entanto, ressalva a componente base do evento – a caridade. A ajuda à Casa da Mãe resulta de “dinheiro que é transformado em géneros”, diz Diogo Dias. Isto é, bens necessários e materiais para jovens mães solteiras. O aluno da EHTC afirma que contribuem com o que fazem de melhor: doces tradicionais e comida.

Além dos donativos, a EHTC também recolhe bens necessários para a mesma instituição. O cozinheiro e formador anuncia que “não há nada com preço estipulado”. As pessoas podem contribuir com o valor que puderem, de forma a ajudar esta causa.

Aliada à componente solidária, uma componente lúdica. Através da confeção de doces tradicionais a EHTC procura divulgar a escola e as suas atividades. O cozinheiro Flávio Silva contrapõe que “é fácil fazer e oferecer um chocolate tradicional”.

Diogo Dias acentua a necessidade de adesão das “pessoas que andam na rua”. Através de um aconchego do estômago com os doces da época, como filhoses e sonhos, é possível ajudar o próximo.

Fotografia: Catarina Magalhães

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top