All for Joomla All for Webmasters
Cidade

Coletivo de Coimbra chama atenção para questão dos refugiados

A iniciativa visa angariar fundos para a causa. A atriz Sofia Lobo conta a sua experiência como voluntária: “É tudo muito pior do que vocês possam imaginar”. Por José Miguel Couceiro e Gabriela Moore

Uma exposição de fotografia, instalações, concertos e lançamentos de livros vão ocupar várias salas do Grémio Operário, sábado, dia 25 de novembro. A partir das 15 horas, e estendendo-se pelo dia todo, vão ser realizadas várias atividades na Rua da Ilha nº 12.

Na sala principal vão estar 109 fotografias, numeradas e anónimas. “A ideia é as pessoas não serem influenciadas pelo autor” e escolherem as que gostam, realça o organizador, Carlos Júlio. Mais adiante, uma exposição de 24 fotos tiradas por Joana Bom enquanto acompanhava refugiados da Grécia à Macedónia. No último salão, encontram-se penduradas as páginas do livro “Diário da Sofia” e um objeto trazido pela atriz da sua última viagem.

A passar em loop, vão estar duas instalações, uma de áudio e outra de vídeo. A primeira é constituída por “entrevistas ficcionadas a refugiados que estão a viver em Portugal”, informa o organizador. Já a segunda é composta por uma série de vídeos feitos pela atriz, este ano, durante o seu voluntariado. Também estão programados concertos, pelo jovem músico Luís Pedro Madeira e por um dos fundadores dos GNR, Vitor Rua. Mounir Sabeh Affaki, um estudante sírio de doutoramento em arquitetura na Universidade de Coimbra, com a colaboração de amigos, vai trazer música da Palestina, Síria e Egito.

Realizam-se também o lançamento de dois livros. Primeiro, “The Book of Refugees”, para o qual foram convidados vários poetas para escreveram sobre a temática. Seguido de “Diário da Sofia”, uma compilação dos relatos feitos pela atriz na página pessoal do Facebook, durante o tempo em que foi voluntária na Grécia.

Origem da ideia

O Pescada nº5, grupo que tem organizado várias exposições temáticas em Coimbra, é o responsável pelo evento. O coletivo “ficou sensibilizado” pela atitude da atriz d’A Escola da Noite, Sofia Lobo, contou Carlos Júlio, um dos membros. A atriz, motivada “pelas imagens que apareciam na televisão”, decidiu procurar uma maneira de ajudar. Foi assim que encontrou A Drop in the Ocean, uma organização não-governamental (ONG) norueguesa que apoia refugiados na Grécia e “que vive só da ação de voluntários e de donativos de particulares”, explicou Sofia Lobo.

A problemática

De início as contribuições da Europa eram “maiores” e havia “dezenas ou até mesmo centenas de organizações a operar”, afirmou a atriz. Com o tempo a situação alterou-se o que era para ser temporário passou a permanente. “Os fundos chegavam ao país mas não aos campos de refugiados”, lamenta Sofia Lobo.

“Conheço pessoas que estão em campos há mais de um ano”, destaca a atriz. Além disso, muitos desses campos não possuem condições mínimas: “há tendas com temperaturas de 30/40 graus ou muito negativas, outras com chuva”, relata. São as pequenas ONGs que ainda atuam, “já que muitas saíram por terem deixado de ter apoio político e financeiro”. As que ainda se mantêm “tentam garantir um pouco de dignidade aos refugiados”, revela Sofia Lobo. Cada uma das organizações trabalha em áreas diferentes e adaptam-se às necessidades específicas do campo em que estão.

O propósito da iniciativa é “chamar a atenção para um assunto que é cada vez menos falado na imprensa”, explica Sofia Lobo, “é como se já não estivesse a acontecer”, acrescenta. Grande parte do que vai ser realizado no Grémio Operário visa a angariação de fundos para a ONG A Drop in the Ocean.

Fotografia de José Miguel Couceiro

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top