Desporto

[II Liga] Académica vs Benfica B – Os estudantes, um a um

João Pimentel viu um jogo com um “cabrito” promissor, um peixe grande num aquário pequeno e um jogador que faz jus a uma frase mítica dos campeonatos distritais.

Ricardo Ribeiro – 5,5

O guardião até podia estar confortavelmente sentado o jogo quase todo. Só o não pode fazer graças aos seus colegas. Com colegas assim, quem precisa de adversários? Deixem o homem estar descansado, era bom sinal.

João Simões – 5

O início de jogo do lateral até era promissor. Estava com velocidade e fez aquilo que se chama de um belo “cabrito”. Com o decorrer do jogo, não sei onde é que este João Simões se meteu. Na bancada, alguém fez-lhe saber que não é por o número 14 ir à seleção nacional sub-20 que não tem que se esforçar mais.

João Real – 6

Como a velha máxima diz, às vezes “mais vale ser um peixe grande num aquário pequeno, do que um peixe pequeno num aquário grande”. Ontem, foi um pouco isso que aconteceu. Que todos tivessem a concentração do capitão. Só já perto do final se notou o cansaço.

Yuri Matias – 5,5

Posicionalmente, não esteve mal. A correr atrás dos avançados encarnados, não esteve mal. Na agressividade, não esteve mal. Aventurou-se e fez um cruzamento e não saiu assim tão mal. A passar a bola, esteve bastante mal.

Nélson Pedroso – 5

Não parecia o mesmo Nélson do último jogo, frente ao Sporting B. Ainda assim, quando lhe foi dada a oportunidade de converter a grande penalidade, não se fez de rogado e converteu em golo.

Ki – 5,5

Já um dos preferidos dos adeptos. Talvez pela sua garra e pela técnica. Porém, como toda a equipa, esteve um pouco abaixo daquilo que tem mostrado. Notou-se a sua fadiga e o treinador substitui-o, mas a equipa acabou por perder qualidade com a sua ausência.

Ricardo Dias – 5

Acredito que tenha ouvido muitas vezes, em pequeno, aquela frase mítica dos campeonatos distritais: “se passar a bola, não pode passar o homem”.

Chiquinho – 6

Muito tecnicista, mas sugiro que lhe deem uma refeição reforçada antes dos jogos para ver se emprega mais força nos seus remates.

Harramiz – 5

Corre que se farta. Ontem, apesar de ter corrido, não criou grande perigo.

Balogun – 5

Não vou escrever aqui a mesma coisa que escrevi para o Harramiz.

Tozé – 5

Apareceu para dar origem a um lance caricato, que podia ter dado golo. Desapareceu logo a seguir. Dá-se recompensa a quem o encontrar.

Guima – 3

Lembro-me de o ver a entrar para o lugar do Ki e a tentar agitar o jogo.

Djoussé – 2,5

Substituiu o Tozé. Teve o empate nos pés. Foi pena que o empate tenha ido para o mesmo sítio do remate.

Marinho – 0

Teve pouco tempo para fazer a diferença e o próprio ritmo do jogo não ajudou.

Ivo Vieira – 5

Sabe bem o que são bailinhos (da Madeira). Ontem, nem de perto nem de longe, levou um dos de Lisboa. Porém, a equipa não esteve à altura dos contra-ataques do adversário e devia ter percebido que a estatura da equipa adversária não permitia que os cruzamentos sortissem efeito. Esperemos para ver se se com regresso do sócio nº 2827 o bloqueio dos contra-ataques melhora.

 

 

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top