Desporto

[II Liga] Académica vs Sporting B – Os estudantes, um a um

João Pimentel assistiu ao jogo [da Académica – https://www.acabra.pt/index.php/2017/09/16/briosa-vence-num-jogo-fortes-emocoes-varios-golos/] onde houve um ‘golazo’ de livre-direto, um jogador a fazer um ‘hat-trick’ de festejos e um nome que ficou na cabeça. No final, ainda houve tempo para dar um aviso ao ‘mister’ Ivo Vieira. Fotografia por João Pimentel

Ricardo Ribeiro – 6

Não teve muito trabalho e o que teve foi provocado pelos colegas. Aliás, se fosse a ele ficava chateado. O homem encontrava-se a desfrutar de uma bela manhã de sol e, sem saber, vê-se obrigado a tentar defender um penálti e uma bola que estava destinada a entrar na baliza. Não há direito.

Nélson Pedroso – 8

Aquele passe teleguiado, ao minuto 20, para o Harramiz fez antever que viriam só coisas boas. Se é verdade que os atacantes dos leões não tiveram grandes dificuldades em passar em velocidade pelo defesa, também é verdade que ninguém se lembra disso depois de uma exibição destas. O vimaranense de 32 anos sacou da manga 2 assistências e ainda foi a tempo de fechar o marcador com um ‘golazo’ de livre direto.

Yuri Matias – 6,5

Esteve muito atento e assertivo durante o jogo todo. Não foi expulso. Festejou efusivamente três golos. Os menos atentos diriam ao brasileiro para acordar do sonho, mas isto nem nos melhores sonhos, amigos. O público só pede mais exibições assim.

P.S.: por favor, alguém que diga ao rapaz que não marcou nenhum golo para ir festejar que nem louco, sozinho. É que me enganou três vezes!

João Real – 6

O capitão do Calhabé fez, prematuramente, o primeiro golo da partida e parecia tudo correr bem. Todavia, foi muito anjinho ao fazer falta dentro de área, que deu o golo do empate ao Sporting. O resto jogo, como qualquer jogador da bola que se preze, foi levantando a cabeça e melhorou com o tempo.

João Simões – 6,5

Excelente envolvimento no ataque e quase sempre bem a defender. Só um conselho da minha parte: tem de arranjar uns pitons novos. Aquela escorregadela valeu umas risadas na bancada, mas levantou-se com tamanha classe que parecia não ter acontecido nada.

Harramiz – 6

O que dizer? Toda a gente lhe conhece uma velocidade tremenda e um remate potente. Hoje vimos essa velocidade e esse remate, porém pareceu sempre que faltava algo mais.

Ricardo Dias – 8

Sem dúvida alguma que a qualidade de jogo dos estudantes tem melhorado desde a chegada do trinco. Quase que faz esquecer Fernando Alexandre [inserir ‘smile’ triste]. Todos sabemos que a sua função é tapar qualquer buraco deixado pelos colegas mais atacantes e, também de certeza, que ninguém lhe pediu para marcar golos. Mas, alguém se opõe? Dois golos e, em geral, uma exibição de qualidade do jogador emprestado pelo Belenenses.

Ki – 6,5

Está um maestro feito do meio-campo da Académica. Passa em desmarcação e foge para se desmarcar. Embora se veja ainda um ou outro passe falhado, quase tudo é bem pensado e sai certo. Tem tempo para tudo e ainda para fazer a delícia dos adeptos, que gritam o nome do coreano, quando é substituído. Atrevo-me a dizer que é uma daquelas pessoas que toda a gente quer convidar quando dá uma festa. Diverte-se e faz divertir.

Chiquinho – 6,5

Entende-se perfeitamente com o seu colega Ki. Trocou as voltas aos seus adversários com um ótimo movimento a meio da primeira parte.

Balogun – 6,5

Balogun, Balogun, Balogun, Balogun… É giro dizer Balogun. Ah, até jogou bem e tem um pulmão incrível. Fez uma arrancada no fim do jogo que fez parecer que estávamos nos minutos iniciais. Podia dar um bocado da sua condição física a alguns dos seus colegas.

Tozé Marreco – 6

Foi o Tozé com a mesma personalidade de sempre. Batalhador, aguerrido e “raçudo”. Ainda assim, não foi dos melhores jogos deste experiente avançado.

Zé Tiago – 6

Entrou para o lugar do Ki e foi com tudo para a partida, como de costume. Ia fazendo golo, depois de um excelente passe do Balogun (não me canso de dizer o nome do moço).

Djoussé – 3,5

Entrou para o lugar do Tozé. E uma coisa eu sei, não devia ser este último a chamar-se Marreco. Ao menos é esforçado.

Mike – 4

O luso-francês não teve muito tempo para se mostrar e nem parece vir a ter, dado que o João Simões tem andado a dar bem conta da ala direita da formação de Coimbra.

Ivo Vieira – 7

Tinha a lição bem estudada e soube passar isso aos seus jogadores. Era, de certeza, um homem feliz no final do jogo, sobretudo com os seus atacantes e não tanto com os seus defesas. Conquanto, todos concordamos com o técnico quando diz que prefere ganhar e sofrer golos do que não ganhar. Não sabemos se este será o treinador que levará a Académica à subida. O que é certo é que a equipa está a jogar bem melhor. Agora, permita-me um aviso ‘mister’. Diga aos seus rapazes para não gastarem os golos todos. Ainda poderão precisar muito deles.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top