Desporto

Ivo Vieira é o escolhido da Briosa para suceder a Costinha

Treinador madeirense assume que foi a escolha certa para a sua carreira e para o clube. Reconhece também subida à Liga NOS como principal objetivo. Por João Pimentel

A apresentação do novo técnico, para a temporada de 2017-2018, escolhido pela Direção da Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol (AAC-OAF), foi feita ontem à tarde no Estádio EFAPEL Cidade de Coimbra. Num primeiro momento, houve uma intervenção por parte do presidente da AAC-OAF, Pedro Roxo. De seguida, foi tempo para perguntas para os órgãos de comunicação social e, por fim, os mesmos órgãos, sócios, simpatizantes da Briosa e todos os que quisessem, puderam interagir com Ivo Vieira no relvado do estádio. O novo técnico chegou a Coimbra com um ano de contrato e mais um de opção.

Raio-X” à carreira

Ivo Vieira, de 41 anos e natural de Machico, prepara-se para a sua quarta experiência como treinador principal, depois de uma curta carreira como jogador. Em 2004 começou por ser treinador-adjunto do Nacional da Madeira, cargo que ocupou até 2008. Nesse mesmo ano passou a orientar a equipa de juniores do mesmo clube e, dois anos depois, em 2010, foi o escolhido para assumir o leme da equipa principal do clube. A sua passagem por técnico principal do Nacional não durou muito tempo e em 2012 foi anunciado como treinador do Marítimo B. No ano seguinte, juntou-se à equipa principal maritimista, como treinador-adjunto e, ainda nessa época assumiu o cargo de treinador principal. Mais uma vez, esta fase foi de curta duração e o técnico acabou por sair a meio da época de 2015-2016.

Na época que agora chegou ao seu desfecho, o madeirense assumiu o comando do Desportivo das Aves. Ivo Vieira terminou o seu vínculo com o clube nortenho antes de finalizada a época, depois de quatro partidas sem ganhar. Porém, na retina, ficam 30 jogos dirigidos pela equipa de Vila das Aves, com um saldo positivo de 16 vitórias, 48 golos a favor e 29 golos sofridos. No final, já com José Mota, o Aves viria a subir à primeira divisão.

Os números ao serviço do Aves ajudam à sua auto-análise como um treinador que “gosta de uma equipa de ataque”. Também em conferência de imprensa, destacou que o seu sistema tático de eleição é um 4-3-3 ou 4-4-2 em linha, porém, na sua opinião, “o melhor sistema é aquele que ganha jogos”.

A escolha do novo técnico

A abrir a apresentação do novo técnico, Pedro Roxo, referiu que a sua escolha para treinador da Académica se justificou no “currículo assinalável” de Ivo Vieira e pelo facto de este ser um técnico com a “ambição de recolocar a Briosa no seu devido lugar”. Referiu, por último, que, com a chegada “a um grande”, lhe são feitas “grandes exigências”.

Ivo Vieira, em primeiras declarações como treinador dos estudantes, assumiu que ficou “lisonjeado” por ocupar o cargo e percebeu que “seria o melhor para a carreira pessoal e para a Académica”. Quando questionado acerca da subida ao primeiro escalão, esclareceu que o essencial “é colocar o clube no lugar que ele merece”. O técnico madeirense afirmou ainda que se a “subida à Liga NOS não fosse o objetivo, não estaria na Académica”. Quanto às condições e infraestruturas do seu novo clube, Ivo Vieira pensa que “um clube com estas condições não pode militar a 2ª divisão”.

A próxima época em mente

A impressão que o novo técnico quis demonstrar foi a de um homem preparado para os desafios. Assim, pediu “exigência” aos adeptos e frisou que, no futuro, se a época não estiver a correr bem, não tem problemas em assumir. Revelou também conhecer bem a equipa e falou na possibilidade da entrada de, pelo menos, “um jogador novo por posição”.

Quanto à equipa técnica que o ajudará nesta nova caminhada, Ivo Vieira referiu que, consigo, vêm os seus treinadores-adjuntos Miguel Romão e Filipe Neto. O treinador revelou ainda que vão chegar também “um treinador de guarda-redes e um elemento de ‘scouting’ e que alguns membros da estrutura técnica da época passada se vão manter, “para fazer a ligação do passado com o presente do clube”.

Já em final de apresentação, o treinador confessou que “o que moveu a escolha não foram aspetos financeiros” e que veio para a Académica “para ser feliz”.

Fotografia: João Pimentel

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2022 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top