All for Joomla All for Webmasters
Desporto

Briosa vence e volta às vitórias no Calhabé

Académica quebra sequência de três jogos sem ganhar e sem marcar golos. Traquina marcou o seu segundo golo no campeonato e proporcionou momento da tarde. Texto por João Pimentel e João Ruivo e fotografias por João Ruivo

Na 14ª jornada da Ledman LigaPro, a Académica recebeu e levou de vencida a equipa do Leixões por uma bola a zero. O jogo ficou marcado por uma primeira parte em que houve maior pendor ofensivo da Briosa e por um segundo tempo com maior equilíbrio entre as duas equipas. Antes do apito inicial, a equipa da casa envergou camisolas alusivas ao Dia Mundial da Diabetes, que se assinala dia 13 de novembro.

A abrir a partida, ao minuto 6, os estudantes dispuseram de um canto. O pontapé, cobrado por Makonda, foi dirigido ao primeiro poste e Diogo Coelho com um toque de calcanhar falhou a baliza. A Briosa procurava os flancos e, ao minuto 12, Traquina passou entre dois jogadores adversários, entrou na grande área e endereçou o esférico a Pedro Nuno, que atirou a bola ao lado e por cima da baliza. No minuto seguinte a equipa da casa beneficiou do segundo canto da partida. Pedro Nuno colocou a bola na área e Marinho falhou a emenda, o que possibilitou uma defesa sem problemas para o guardião da equipa de Matosinhos, Ricardo Moura. A equipa do Leixões tentava contrariar a tendência da partida, mas sem efeitos práticos.

Os 2572 espectadores presentes no estádio EFAPEL Cidade de Coimbra, presenciaram o momento mais alto do jogo quando, ao minuto 25, a Académica fez uma incursão pelo lado esquerdo do ataque. Depois de uma combinação entre Makonda e Traquina, a equipa leixonense, numa tentativa de corte, entregou a bola a bola ao extremo dos estudantes, João Traquina, que aproveitou a ocasião para efetuar um “chapéu” ao guarda-redes. Estava feito, assim, o único golo da partida. A Académica procurava ampliar o marcador e, ao minuto 31, na sequência de um canto, João Real disparou a bola por cima da baliza, com um “pontapé de bicicleta”. A primeira parte acabou sem a equipa visitante conseguir dar resposta à desvantagem verificada no marcador.

Os segundos 45 minutos começaram com uma oportunidade de golo para a Académica. Traquina cruzou para a área, onde apareceu Tozé que, com um remate acrobático, atirou para defesa apertada do guardião. O Leixões procurou equilibrar o jogo e dar resposta às oportunidades da Briosa. Aos 48 minutos, “Os Bebés do Mar”, por intermédio de Bruno Lamas rematou ao lado da baliza de Ricardo Ribeiro, depois de um corte imperfeito da defensiva academista.

O jogo estava equilibrado e as duas equipas procuravam chegar ao golo. Através de um contra ataque, ao minuto 68, Marinho cruzou para o segundo poste, onde apareceu Tozé Marreco que enviou a bola por cima da baliza do Leixões. Até ao final da partida, nenhuma das equipas obteve ocasiões claras de golo e o resultado manteve-se inalterado. A Académica terminou, assim, a sequência de jogos sem ganhar e sem marcar golos.

Em conferência de imprensa, os dois treinadores mostraram estar em desacordo quanto à análise do resultado. O treinado do Leixões, Daniel Kenedy, considerou que “o resultado foi injusto” e que a sua equipa “ dominou a segunda parte e teve ocasiões para fazer golo”. Por sua vez, o treinador dos estudantes, Costinha, realçou a justeza do resultado, porém lamentou o facto da sua equipa “não ter dado o seguimento pretendido às jogadas de contra ataque”. Quanto ao facto de o melhor marcador da Académica, Tozé, não fazer golos nos últimos jogos, o treinador explica que “faz parte do futebol, o importante é acarinhar o jogador, que vive e trabalha durante a semana para fazer golos”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2018 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top