All for Joomla All for Webmasters
Ciência & Tecnologia

UC dá os primeiros passos no estudo da paleoparasitologia

Investigação estuda os vestígios de parasitas em antepassados, permitindo descobrir novas maneiras de entender e combater estes organismos. Por Filipa Sattut

A Universidade de Coimbra (UC), através do Departamento de Ciências da Vida e do Centro de Investigação em Antropologia e Saúde, é precursora no estudo da paleoparasitologia em Portugal. Esta área de investigação consiste “no estudo dos vestígios de parasitas que afetavam as populações do passado, tanto humanas como animais, para se conseguir entender melhor a distribuição dos parasitas no presente”, esclarece Luciana Sianto, principal investigadora do projeto. A paleoparasitologia explica assim como surgiram, se disseminaram e qual o efeito no hospedeiro em causa. “O estudo torna-se fulcral para a descoberta de novas ferramentas para o combate daquele parasitóide”, acrescenta a investigadora.

A investigação baseou-se na análise de sedimentos, extraídos da cavidade pélvica de esqueletos humanos adultos, de ambos os sexos, desde o século VIII até ao século XX. Os resultados mostraram uma menor incidência de ovos de parasitas na população portuguesa, quando comparada com outras populações europeias. Embora ainda não existam conclusões que expliquem os resultados, os cientistas crêem que uma nutrição mais saudável, como a dieta mediterrânea, possa ser um factor contributivo.

De acordo com Luciana Sianto, aferiu-se ainda que os parasitas mais comuns, transmitidos de humano para humano, são Ascaris lumbricoide e Trichuris trichiura, responsáveis por doenças intestinais. Sob a coordenação local da docente Ana Luísa Santos, “os dados obtidos neste estudo são catalogados com os de outros países da Ásia, África, Europa e Américas”, remata a investigadora.

Trichuris São Julião-vert

Fotografia gentilmente cedida pela UC

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2018 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top