All for Joomla All for Webmasters
Cultura

José Valente e os pássaros que já não cantam

TAGV recebe o lançamento de disco inspirado em obra de Afonso Cruz. “Os pássaros estão estragados” reflete sobre a opressão social na atualidade. Por Stephanie Manchado

O álbum “Os pássaros estão estragados” do compositor e violetista José Valente, é hoje lançado no Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV). Inspirado pelo livro Boneca de Kokoschka, de Afonso Cruz, o novo disco tem um teor político, que se baseia numa metáfora criada sobre pássaros. O objetivo, no fim do concerto, é afetar o quotidiano dos espetadores e deixá-los a pensar.

Segundo José Valente, a metáfora utilizada é atual pois as pessoas estão “estragadas como os pássaros do livro” e deve-se questionar o porquê de estarem “em silêncio”. “Os pássaros estão estragados” é uma citação direta da obra de Afonso Cruz, lançada em 2010 pela Quetzal Editores. Nessa passagem do livro, o autor metaforiza a sociedade oprimida em pássaros que já não cantam devido à realidade em seu redor. Foi a partir desse trecho que surgiu inspiração para o nome do disco, que também procura tocar o público em relação ao controlo e à opressão existente. “Espero que o público sinta qualquer coisa, que, de alguma maneira, a música tocada, as imagens vistas e os textos que são ditos afetem o quotidiano das pessoas que estão a assistir”, afirma o compositor.

O músico, que está a concluir o doutoramento em Arte Contemporânea no Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, já realizou cursos conceituados em Viena e Nova Iorque. Após o lançamento do seu disco, o músico apresenta-se num concerto solidário para com os refugiados no Porto e pretende, também, criar um festival que englobe as artes visuais com a música.

IMG_9393 Fotografia: Raquel Mendonça – Arquivo

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top