All for Joomla All for Webmasters
Cultura

Debate proibido na FDUC acaba em convergência de ideias

O debate entre Pedro Mexia e Rui Tavares, que decorreu esta tarde, 5 de novembro, na Sala 17 de Abril do departamento de Matemática, depois de ter sido proibido na Faculdade de Direito da UC, revelou-se, no entanto, um encontro de ideias entre esquerda e direita. Por Rita Domingos e Rita Flores

Após a recusa por parte do diretor da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (FDUC), António Santos Justo, em realizar o debate “A esquerda, a direita e agora: haverá espaço para as ideologias no mundo atual”, os representantes do Núcleo de Estudantes de Direito da Associação Académica de Coimbra (NED/AAC) prosseguiram com a sua concretização na historicamente conotada Sala 17 de Abril do Departamento de Matemática da Faculdade de Ciência e Tecnologia.

O debate contou com a presença de Rui Tavares, fundador do Partido Livre, e Pedro Mexia, comentador e cronista. A moderação esteve a cargo de Maria Manuel Veloso, professora da FDUC, e o evento teve uma grande adesão, não só por parte dos estudantes e professores da FDUC, mas também de pessoas não ligadas diretamente à Universidade.

dr

Foto: DR

Como forma introdutória ao debate, o presidente do NED/AAC Alexandre Amado, focou a ideia de que “em circunstâncias normais” não leria integralmente o seu discurso. Todavia “estas não são circunstâncias normais”, declarou ao mencionar o desejo de “cumprir a sua missão” e de justificar a persistência do NED/AAC em realizar o evento.

Ainda assim, e ao contrário dos argumentos utilizados por António Santos Justo para proibir a realização do evento na FDUC, o debate cancelado por se tratar de um acontecimento de caráter ideológico acabou por se revelar um encontro de ideias entre apoiantes de esquerda e de direita.

Ambos os convidados iniciaram o seu discurso com um tom irónico e humorístico em relação aos motivos que levaram à alteração do local do debate. O escritor Rui Tavares focou a ideia de que “a esquerda e a direita não são ideologias em si”, e que o conceito de ideologia tem desaparecido. Rui Tavares sublinhou ainda que muitas vezes, são os diferentes acontecimentos que “definem o que é a direita e a esquerda”, dando exemplos como a escravatura e a legalização do casamento entre casais do mesmo sexo.

Já Pedro Mexia focou o seu discurso numa definição concreta do conceito de ideologia que acentua a inexistência de um pensamento único, isto é, que um “monolitismo de esquerda e direita não fazem sentido”.

 

Secção de Jornalismo da Associação Académica de Coimbra

Rua Padre António Vieira, Nº1 - 2ºPiso 3000 Coimbra

239 851 062

Seg a Sex: 14h00 - 18h00

© 2019 Jornal Universitário de Coimbra - A Cabra

To Top