Tutorias e demasiadas opções: os problemas que se levantam na FLUC

Diretor da faculdade faz balanço positivo. Pouca adesão por parte dos estudantes marcou o encontro sobre a reforma da oferta formativa. Por Inês Gama e Ana Santos

O diretor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), José Pedro Paiva, convocou os estudantes esta terça-feira, 15 de maio, para uma reunião. Neste encontro pretendeu-se “abrir o debate à comunidade estudantil” sobre o balanço dos três anos da nova oferta formativa, informou no início o diretor da FLUC. Esta reunião teve como ponto de partida um relatório elaborado por quatro alunos que integram o Conselho Pedagógico da FLUC.

Foram poucos os estudantes que aderiram à iniciativa de José Pedro Paiva. Os presentes na sala destacaram sobretudo o mau funcionamento das tutorias, as escassas disciplinas obrigatórias no primeiro ciclo de estudos e as dificuldades de escolha acertada por parte de alunos do primeiro ano.

Em relação às tutorias, os estudantes intervenientes apontaram que sempre que tentam entrar em contacto com o professor tutor não conseguem uma resposta deste. Para Ana Martins, aluna de História, as tutorias não resultam, uma vez que os professores não respondem aos ‘e-mails’ dos alunos. No fim, o diretor da FLUC reconheceu que este sistema não está a funcionar como pretendido. Propôs ainda a implementação de uma cultura de tutoria, sobretudo nos alunos de primeiro ano.

A quantidade de disciplinas obrigatórias é também criticada por alguns intervenientes. Este é o caso de Paulino Duarte, aluno de Geografia, que acredita que “há demasiada oferta facultativa”, embora concorde com a existência de algumas unidades opcionais. Ana Martins reforça que “o leque de cadeiras obrigatórias é demasiado curto”. No entanto, o diretor da FLUC considera que “é enriquecedor que os alunos conheçam formas de pensar diferentes”, o que justifica as opções em diferentes áreas.

No geral, os estudantes exprimiram preocupação em relação à escolha das unidades curriculares opcionais. Referiu-se ainda que muitos alunos escolhem disciplinas não com base no que seria mais vantajoso para o seu currículo, mas sim de acordo com os resultados. O diretor reconheceu este problema e mencionou que a situação se resolveria com uma tutoria funcional.

No final da reunião, José Pedro Paiva garante que o balanço geral da reforma é positivo e que as sugestões dos estudantes vão ser estudadas. O diretor da FLUC anunciou que no próximo ano letivo vai realizar-se um encontro idêntico, devido à pouca adesão deste.

[Atualizado às 23h11 de 17/05/2018]

Fotografia: Inês Nepomuceno