Cidade dos estudantes acolhe Semana Internacional do Cérebro

CNC promove várias atividades gratuitas sobre a neurociência dirigidas a todas as faixas etárias. Investigadora Sara Vera Amaral reforça a importância do debate e educação acerca da temática. Por Marina Ferreira

A Semana Internacional do Cérebro tem início hoje, dia 12 de março, e acontece ao longo da semana. O Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade de Coimbra (UC) é o principal dinamizador do evento. Esta é uma iniciativa a nível mundial promovida pela Federação Europeia das Sociedades de Neurociências. No contexto nacional, a iniciativa é promovida pela Ciência Viva e pela Sociedade Portuguesa de Neurociências.

“Aventuras do Cérebro” é o tema escolhido para esta edição do evento. Sara Vera Amaral, investigadora do CNC, explica que estas aventuras dizem respeito “ao desvendar de alguns mistérios e mitos sobre o cérebro”. A ideia é o desenvolvimento de atividades de sensibilização e de comunicação de neurociência em “vários contextos com diferentes estratégias de comunicação”, completa a investigadora. Refere ainda “o cuidado em adaptar as atividades aos diferentes tipos de público”.

A inauguração da exposição da MicroScience Photo Gallery: “The Beauty in our cells” vai decorrer amanhã, dia 13 de março, no Exploratório Centro de Ciência Viva de Coimbra. Integrada nesta semana científica, este projeto consiste na mostra de 70 fotografias com imagens microscópicas de células do cérebro e de outros órgãos do corpo humano.

Durante esta semana, os cientistas levam às escolas a atividade “Neuroaventuras nas Escolas”. Também muitos estudantes do ensino básico e secundário vão ter a oportunidade de contactar e visitar os lugares onde se estuda o cérebro e as neurociências através do projeto “NeuroAventuras no Laboratório”.

A sessão de encerramento oficial da Semana Internacional do Cérebro tem lugar no dia 18 de Março na Fnac do Fórum Coimbra. O evento aberto ao público onde vai ser debatida a temática “Demência e Stress” conta com a participação de Isabel Santana, neurologista, Mário Simões, psicólogo, José Carreira, presidente da Alzheimer Portugal, e António Freire, presidente do Conselho Português do Cérebro.

No que respeita à importância da informação científica e da sensibilização da comunidade para as temáticas de doenças mentais, Sara Vera Amaral explica que “quanto mais comunicação de ciência e quanto mais envolvimento da sociedade existir, mais capaz de tomar decisões e mais atenta a estas doenças esta vai estar”. A investigadora sublinha que estes assuntos passam muitas vezes despercebidos e reforça que estes “têm de ser debatidos e esclarecidos”.

Fotografia: José Miguel Couceiro