TAGV vai “para além do cinema americano” com KINO

Quinta edição marcada pelo foco em jovens realizadores. Iniciativa “prova que o cinema também pode ser um meio de interculturalidade”. Por Micaela Santos

A KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã assinala a quinta edição de dia 14 a 16 de fevereiro. As sessões cinematográficas vão ter lugar no Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV) e vão ser marcadas pelo cinema de jovens realizadores, segundo Corinna Lawrenz, uma das organizadoras.

“O objetivo desta mostra de cinema é trazer para Portugal tanto filmes de realizadores já conhecidos como também filmes de jovens realizadores”, enuncia Corinna Lawrenz. A programação para Coimbra é uma versão mais restrita da programação principal em Lisboa, com a intenção de “mostrar filmes que possam ter interesse para o público jovem estudante”.

O foco criado na KINO há três anos incidiu sobre os jovens cineastas. A organizadora destaca o filme “Haus ohne Dach” (“Casa sem teto”), realizado pela jovem Soleen Yusef. Esta obra cinematográfica foi filmada, em grande parte, no Iraque, o que torna o filme “muito diverso” e “um dos pontos mais importantes da mostra”. Corinna Lawrenz observa ainda que este filme contribui para colocar em observação a diversidade do cinema de produção alemã.

Além da presença de outras culturas nas produções cinematográficas, a KINO conta também com a participação de outros países (Áustria, Suíça e Luxemburgo). Segundo a organizadora, tal “prova que o cinema pode ser um meio de interculturalidade”.

De acordo com Corinna Lawrenz, a KINO destina-se a um público cinéfilo, “pessoas que queiram ver bom cinema”, mas também a “quem esteja interessado na língua e cultura alemã”. Além deste público “muito vasto”, espera-se público mais jovem. Acrescenta ainda que vai haver uma sessão de mostra cinematográfica para grupos escolares em Coimbra. O objetivo é “mostrar novas perspetivas que vão além do cinema americano”.

3 dias, 3 destaques

Os destaques dados por Corinna Lawrenz a este evento dirigem-se aos documentários “Beuys”, “Denk ich na Deutschland in der Nacht” (“Se penso na Alemanha à noite”) e ao filme “Casting”.

A peça “Beuys”, que vai ter uma estreia comercial em Portugal, é sobre o artista Josef Beuys. Segundo a organizadora, trata-se de “um documentário que não é apenas um retrato biográfico, mas também uma abordagem da atualidade do pensamento deste artista, a nível político e social”.

“Este ano, os documentários têm uma presença muito forte”, afirma Corinna Lawrenz. O outro documentário ao qual esta dá destaque (“Se penso na Alemanha à noite”) estreou no ano passado em Berlim e é sobre cinco pioneiros da cena da música eletrónica na Alemanha.

Já o filme “Casting” estreou no ano passado e foi, segundo a organizadora, um dos filmes mais falados na crítica alemã. Esta obra cinematográfica baseia-se na improvisação, sobre um ‘remake’ de “As lágrimas amargas de Petra von Kant”, em que a realizadora Vera anda em busca do elenco “ideal”.

Esta Mostra de Cinema de Expressão Alemã completa 15 anos, com origem numa pequena amostra em Lisboa. Em Coimbra celebra apenas a quinta edição em colaboração com o TAGV.

 

Fotografia gentilmente cedida por Corinna Lawrenz (Beuys: © zeroonefilm | bpk | Ernst von Siemens Kunststiftung | Stiftung Museum Schloss Moyland | Ute Klophaus)