FFUC recebe rastreio nacional às infeções sexualmente transmissíveis

Iniciativa pretende trazer o laboratório até à universidade. Rastreio tem subjacente a intenção de educar e prevenir o público mais jovem. Por Margarida Maneta

A Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (FFUC) vai receber na quarta-feira, dia 14 de fevereiro, entre as 14 e as 17 horas, um rastreio nacional às infeções sexualmente transmissíveis (ITS) liderado pelo Departamento de Doenças Infeciosas do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. O rastreio tem como objetivo recolher dados sobre o número de jovens portadores de bactérias e, consoante os resultados, realizar campanhas de prevenção.

Segundo Gabriela Silva, representante e organizadora da iniciativa na Universidade de Coimbra, “as pessoas não se deslocam ao laboratório mesmo sabendo que é grátis”. Por isso sentiu-se a necessidade de trazer o laboratório até à universidade para realizar o rastreio.

A atividade pretende, através da amostra, apurar resultados nacionais sobre a existência dos parasitas como a Chlamydia trachomatis (Clamídia Genital), Neisseria gonorrhoeae (Gonorreia), Mycoplasma genitalium e Trichomonas vaginalis (Tricomoníase). Estas caracterizam-se por serem silenciosas, no sentido em que, “não apresentam sintomas”. Neste sentido, os seus portadores, por desconhecimento, não procuram um diagnóstico e transmitem-nas aos seus parceiros sexuais de forma inconsciente. Por isso, o rastreio tem subjacente a intenção de “educar e prevenir o público mais jovem”, sublinha a organizadora.

A análise é efetuada a partir da urina e os resultados são anónimos. “Quem estiver interessado em conhecer o seu resultado, pode solicitá-lo e, mais tarde, vai ser notificado”, esclarece Gabriela Silva. A divulgação da iniciativa na cidade contou ainda com o apoio do Diretor da FFUC e do Núcleo de Estudantes da FFUC.

Fotografia: Pedro Dinis Silva