Aniversário do Museu da Ciência da UC vai comemorar Dia Mundial dos Solos

Fomentar a análise crítica e a consciencialização move esta iniciativa. Alertas para a poluição e destruição do solo português vão fazer parte do programa. Por Joana Campinho e Filipa Vieira

“Este evento conjuga ciência, história e cultura” descreve Carlota Simões, diretora do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra (MCUC). A celebração do 11º aniversário da instituição vai ocorrer no dia 5 de dezembro, Dia Mundial dos Solos, das 10h às 17h.

O MCUC, criado em 2006, compila todas as coleções de zoologia, botânica, antropologia, mineralogia e paleontologia que chegaram à UC desde o século XVIII. Antes da sua fundação, as coleções encontravam-se distribuídas por diferentes museus, “o que era bastante insustentável para a UC”, declara Carlota Simões. A diretora acrescenta que este novo formato teve como propósito a “existência de um único museu, no qual todas as coleções estivessem integradas”.

O novo formato, aliado ao crescente turismo da UC, culminou num “balanço positivo” dos últimos 11 anos de trabalho, considera a diretora. Carlota Simões enfatiza que “ciência, história e cultura, funcionam como um tripé, a suportar uma estrutura”. Dessa forma, salienta a importância de a UC crescer e pautar a sua ação em torno destes três pilares.

A data do aniversário do MCUC coincide com o Dia Mundial do Solo. A diretora relembra os “terríveis incêndios” que destruíram o solo português e a sua biodiversidade. “Dedicar o dia aos solos” é o foco das atividades, que têm como objetivo alertar a população para “a poluição, a forma como a agricultura é praticada, o modo como o lixo é produzido e o problema da erosão”, esclarece a diretora. Vão ser, ainda, realizadas atividades e ateliês destinados à consciencialização dos mais novos.

Para além deste ciclo de atividades, vai ser realizada a exposição “Velho de Longe – Aves Migratórias” que combina ilustrações, da autoria de Joaquim Vicente, com exemplos de aves em taxidermia, propriedade do acervo do MCUC. A instituição vai acolher, ainda, o colóquio “Redes de Cooperação Cultural Transacionais: Portugal europeu, lusófono e ibero-americano”. Este último tem em vista potenciar a análise crítica das redes de cooperação cultural.

Fotografia: Rita Espassandim