Cooperativa Bonifrates ressuscita Lorca em Coimbra

Peça levada a cena para a celebração do 150º aniversário da abolição da pena de morte. Auditório motivado a uma reflexão crítica sobre o tema. Por Jéssica Gonçalves e Filipa Vieira

Interpretada pela Cooperativa Bonifrates, a peça “Mariana Pineda” vai estrear dia 14 de novembro às 21h45 na Casa Municipal da Cultura de Coimbra. O espetáculo incita a luta contra o conformismo e pela liberdade. João Maria André, encenador da peça, e a presidente da Cooperativa Bonifrates, Cristina Janicas, também atriz na peça, são parte integrante deste projeto.

Este espetáculo, escrita pelo poeta e dramaturgo Federico Garcia Lorca, “cruza três temas que estão interligados”, segundo João Maria André. O foco é a liberdade, tema que se cruza com o amor entre Mariana Pineda e um dos protagonistas da revolução liberal espanhola, bem como a resistência. A personagem principal desta peça, símbolo de rebeldia que foi condenada à morte, é tida pelo encenador como alguém que “pode levar as pessoas a pensar sobre aquilo que se pode fazer em situações de opressão”.

“O teatro existe para despertar uma consciência crítica junto das pessoas e esta peça oferece motivos suficientes para despertar essa consciência crítica”, realça João Maria André. O encenador apela ao público a realização de uma análise crítica face a este tema da atualidade “bastante importante que é a pena de morte”.

Cristina Janicas reforça ainda “uma chamada de atenção para esta realidade” e apela à reflexão do público perante a questão da pena de morte. A apresentação tem espetáculos marcados até ao final do mês de dezembro e destina-se a um público amplo. João Maria André acrescenta que a peça se dirige desde camadas mais jovens, “até a uma faixa de público mais adulto que tem acompanhado as produções da Bonifrates”.

Fotografia gentilmente cedida pela Cooperativa Bonifrates