SOS Estudante dá voz ao debate da integração

Projeto pretende fomentar a reflexão e a discussão na comunidade universitária. O objetivo passa por “trazer de volta o pensamento crítico para a academia”. Por Inês Ribeiro

 Com a entrada no ensino superior, vários estudantes que chegam a Coimbra, “integrados num ambiente, passam a estar desintegrados num outro que não conhecem”, tal como afirma o presidente da SOS Estudante, Diego Prade. Este é o mote para a primeira sessão do ciclo de debates “Em linha com…”, intitulado de “A (des)Integração dos(as) Novos(as) Estudantes”. Promovido pela SOS Estudante, no âmbito da agenda cultural do “Cria’atividade”, movimento de alternativa à praxe, o debate vai realizar-se hoje, pelas 21h30, no “Aqui Base Tango”, em Coimbra.

Segundo Diego Prade, a escolha deste assunto vai ao encontro das preferências de discussão e debate do público estudantil, não apenas no que diz respeito à integração, mas também à desintegração em espaço universitário. Para o presidente da SOS Estudante, a discussão está sempre em torno de “um grupo de pessoas que são a favor ou contra a praxe”, mas raramente “sobre o posicionamento da universidade e o papel da Associação Académica de Coimbra [AAC] ou a forma mais democrática de integrar os alunos”.

Para que esta integração seja possível, Diego Prade defende que deveria “existir uma semana de integração em que a universidade estivesse envolvida e que fosse neutra. Sem praxe, sem nenhum posicionamento específico em que o propósito fosse todas as pessoas no mesmo nível, sem nenhuma hierarquia, a ajudarem-se umas às outras”. Sugere a criação de uma feira cultural onde estivessem representadas todas as secções da AAC e outras iniciativas como o “Cria’atividade”.

Entre os participantes do debate vai estar presente Alexandre Amado, vice-presidente da Direção Geral da AAC que, para o presidente da SOS Estudante, “representa os estudantes e é interessante ver o ponto de vista dele em relação à integração”. Vai contar também com a presença de Pedro Ferreira Alves, psicólogo clínico, que vai dar “uma perspetiva em termos do que acontece com uma pessoa quando entra no ensino superior”, assim como um representante do “Cria’atividade” que vai expor “o seu ponto de vista da alternativa à praxe”, acrescenta Diego Prade.

O ciclo de debates pretende promover a reflexão, o debate e a discussão entre os estudantes acerca de temas que suscitam muitas dúvidas e que chegam de diversas formas até à linha de apoio da SOS Estudantes. Diego Prade afirma que a importância “deste projeto é trazer de volta o pensamento crítico para a academia”. Nos próximos debates vão estar em cima da mesa temas como o sexo, no dia 9 de novembro, e a “A (Des)construção de Identidade”, a 7 de dezembro.